ACESSE

Aprovado para embaixador nos EUA há 140 dias, Forster ainda não foi confirmado em plenário

Telegram

O Senado suspendeu a votação das indicações do governo para chefiar embaixadas do Brasil.

O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Nelsinho Trad (PSD-MS), contou à Rádio Senado que a votação não pode ser feita online. O artigo 52 da Constituição determina que os senadores aprovarão “a escolha dos chefes de missão diplomática” por voto secreto.

“A gente entende que é uma matéria sensível, que pode sim estar dando um certo prejuízo nas questões do relacionamento diplomático do Brasil com outros países”, admitiu.

O nome de Nestor Forster para a embaixada em Washington, por exemplo, aprovado em 13 de fevereiro na comissão, não foi votado em plenário até hoje. No mesmo dia, a comissão aprovou o embaixador Hermano Telles Ribeiro para chefiar a embaixada em Beirute, indicação que também ainda não foi apreciada no plenário.

Na semana passada, o governo enviou ao Senado 18 mensagens com nomes indicados ao comando de embaixadas e missões do Brasil, incluindo na Argentina, no Chile e em Israel.

Desde junho de 2019, Forster chefia a embaixada brasileira em Washington como “encarregado de negócios”, interinamente. A confirmação na comissão do Senado foi atrasada porque o presidente Bolsonaro resolveu lançar o nome do filho 03 para o posto. Depois desistiu da ideia, e Eduardo não chegou a ser sabatinado.

Leia mais: A guinada de Bolsonaro para ficar no poder

Comentários

  • Wanderlei -

    A pureza de caráter desses senadores é de emocionar.

  • PAULO -

    Essa Alcolumbre é mais um a manchar a cadeira de Presidente do Senado do Brasil.

  • Isaias -

    Votação secreta feita por senadores e deputados é coisa que só serve para acobertar falcatruas, estes sujeitos não têm motivos pra esconder o voto, muda a regra e pronto.

Ler 11 comentários