ACESSE

Aras diz que divulgação integral de vídeo seria 'arsenal político' para eleições de 2022

Telegram

PGREm manifestação a Celso de Mello, Augusto Aras defendeu que seja retirado o sigilo apenas das falas de Jair Bolsonaro, na reunião ministerial de 22 de abril, que tratem da Polícia Federal, da segurança do presidente e familiares, relativas ao Ministério da Justiça e à Abin, e aquelas ligadas a “falta de informações de inteligência das agências públicas”.

Seria uma divulgação ainda mais restrita do que pede a Advocacia Geral da União, que admite divulgar todas as falas do presidente durante a reunião, exceto as dos ministros e outras de Bolsonaro com menções a outros países.

“A divulgação integral do conteúdo o converteria, de instrumento técnico e legal de busca da reconstrução histórica de fatos, em arsenal de uso político, pré-eleitoral (2022), de instabilidade pública e de proliferação de querelas e de pretexto para investigações genéricas sobre pessoas, falas, opiniões e modos de expressão totalmente diversas do objeto das investigações, de modo a configurar fishing expedition”, sustentou o procurador-geral da República.

Afirmou também que a divulgação integral significaria “politizar” a atuação do Judiciário, Ministério Público e PF no caso, contra a “impessoalidade, objetividade e técnica” da investigação.

“Em outras palavras, o Procurador-Geral da República não compactua com a utilização de investigações para servir, de forma oportunista, como palanque eleitoral precoce das eleições de 2022”, escreveu.

Comentários

  • Mariella -

    Pusilânime e conivente. A vaga no STF pode vir, mas sua bio estará para sempre etiquetada: o serviçal do Bolsonaro - como M. Aurélio, primo do Collor; Tofolli, amigo do amigo; Gilmar, cel do FHC etc.

  • Maria -

    Exmo. Ministro Celso de Mello, são permita que esse ser abjeto, subserviente do sociopata ocupe a cadeira que V.Exª honrou. Divulgue o vídeo, nós merecemos conhecer a verdade.

  • Mauricio -

    KKKK... se garantindo no STF!

Ler 224 comentários