Aras diz que não recebeu provas do MP do Rio sobre 'micheques'

PGR disse em nota que rejeitou investigar o caso porque notícia-crime enviada ao STF não tinha provas
Aras diz que não recebeu provas do MP do Rio sobre micheques
Foto: Adriano Machado/Crusoé

A Procuradoria-Geral da República afirmou, em nota, que Augusto Aras pediu ao Supremo para arquivar uma notícia-crime sobre os cheques de R$ 89 mil de Fabrício Queiroz para Michelle Bolsonaro, revelados pela Crusoé, porque não tinha provas.

“Aplica-se o direito avaliando fatos e provas. Na representação que chegou à PGR, formulada por um cidadão que já representou contra centenas de autoridades da República, havia a descrição de supostos fatos sem o devido acompanhamento das provas, conforme a análise da assessoria criminal do Gabinete do Procurador-Geral”, disse a PGR.

A nota diz que o caso já é investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e que “até o momento”, os elementos de prova não foram enviados à PGR.

“Isso significa que o MPRJ entendeu que não há indícios de crime praticado por autoridade com prerrogativa de foro no Supremo Tribunal Federal. Diferentemente do que escreveram alguns sites noticiosos, a PGR não enterrou a apuração sobre os cheques depositados, pois nada impede que as investigações, na origem, possam prosseguir, afirmou.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que tem coragem de fiscalizar TODOS os poderes
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO