Aroldo Cedraz não pode censurar a realidade

Ontem, noticiamos como Aroldo Cedraz boicotava a Lava Jato, que investiga o seu filho e ele próprio.

Hoje, Merval Pereira trata dessa vergonha em O Globo:

“O ministro está na mira de uma sindicância interna da Corte e de investigações da própria operação Lava Jato. Os comentários do Procurador Julio Marcelo foram compartilhados pelo juiz Sérgio Moro e pelo procurador chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol. O Procurador Julio Marcelo ressalta em sua nota no Facebook que no âmbito da operação Lava Jato existe importante colaboração entre o TCU e o Ministério Público. E depende basicamente do Presidente do TCU dar apoio a essa colaboração, priorizando a Operação Lava-Jato, e colocando um número suficiente de auditores no trabalho de análise das provas compartilhadas.

De um total de 1.500 auditores de controle, apenas doze trabalham na Operação Lava-Jato em tempo integral, e isso por que alguns ministros reclamaram que apenas 6 estavam deslocados para a tarefa. Se o TCU afrontar a sociedade mantendo o presidente que é investigado, e claramente não dá prioridade à Operação Lava-Jato, estará sendo conivente com essa atitude e perderá a credibilidade diante da opinião pública.”

Aroldo Cedraz não pode censurar a podridão da realidade.

Faça o primeiro comentário