As 600 mil “fazes” de Luleco

A Zelotes demoliu os argumentos apresentados por Luleco e Mauro Marcondes para justificar o pagamento de 2,5 milhões de reais à empresa de fundo de quintal do herdeiro do trono.

Documentos obtidos pelo Valor “revelam diferenças tanto em relação ao objeto dos contratos quanto à forma pela qual eles começaram a fazer negócios”.

Um desses documentos, o relatório “Análise do esporte como fator de motivação e integração nas empresas”, datado de dezembro de 2014 e que rendeu a Luleco 600 mil reais, “apresenta erros básicos de português, como na repetição, em 25 páginas seguidas, da grafia fazes”, em vez de fases.