As bancas de advocacia na delação de Cabral

Em sua delação premiada firmada com a Polícia Federal, o ex-governador Sergio Cabral entregou vários escritórios de advocacia que teriam servido para intermediar o pagamento de propina a políticos e integrantes do Judiciário.

Algumas dessas bancas estão na lista de repasses da Fecomércio, na gestão de Orlando Diniz, vizinho e parceiro de Cabral em várias negociatas.

Mais cedo, Augusto Aras apresentou recurso contra a homologação da colaboração de Cabral.

O NOVO BOTE EM MORO. Leia aqui

A Lava Toga é um tema espinhoso.

URGENTE: PGR recorre da homologação da delação de Sérgio Cabral

Comentários

  • Massaaki -

    Então tem de haver a LAVATOGA, sim.

  • Servulo -

    Todos sabemos que advogados, funcionários e políticos corruptos e desembargadores comprados formam uma irmandade que é preciso quebrar.

  • Alex -

    Pela Fecomércio se acessa os fundos podres do judiciário. Fato.

Ler 81 comentários