ACESSE

"As declarações do presidente já estão incorporadas, não surpreendem mais"

Telegram

O deputado Daniel Coelho, líder do Cidadania, disse a O Antagonista que o objetivo da maioria dos líderes da Câmara é aprovar uma reforma tributária até dezembro.

“Nossa prioridade, neste segundo semestre, depois de concluir a votação da reforma da Previdência, é entregar a [reforma] tributária. Essa é uma pauta da Câmara. Se não fosse o empenho de líderes e de Rodrigo Maia, ela não estaria em primeiro plano”, comentou o deputado — vale lembrar que Câmara e Senado disputam protagonismo nesse tema.

Assim como outros líderes, Coelho sustenta que o Parlamento precisa avançar em “projetos importantes”, independentemente do Executivo.

“As declarações polêmicas do presidente [Jair Bolsonaro] já estão incorporadas, não surpreendem mais. A gente discorda de muita coisa do que ele diz, mas estamos colocando as pautas do Brasil na frente. Gostar ou não do presidente, concordar ou não com o que ele fala: isso não pode alterar o nosso julgamento em matérias importantes.”

Para o deputado, “o próprio presidente adotou um modelo de independência do Parlamento”.

Sobre o pacote anticrime de Sergio Moro, o líder do Cidadania afirmou que o partido defendeu prioridade para o assunto desde o início desta legislatura, mas “o governo não conseguiu convencer os demais partidos” no mesmo sentido.

TOFFOLI: A DECISÃO... E A COINCIDÊNCIA. Saiba mais

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 9 comentários