As MPs da Odebrecht

A Odebrecht ganhou 8,4 bilhões de reais depois de pagar propina para aprovar duas medidas provisórias.

O cálculo foi feito pela Folha de S. Paulo a partir dos depoimentos de Claudio Melo Filho.

Ele disse que corrompeu parlamentares para aprovar as MPs 255/2005 e 677/2015.

“Na primeira, que ficou conhecida depois como ‘Lei do Bem’, a Odebrecht pleiteava isenção de PIS e Cofins na compra de matéria-prima (nafta) para reduzir os custos operacionais da Braskem”.

Na segunda, apresentada por Romero Jucá, a Braskem garantiu “a extensão do prazo do fornecimento de energia barata pela Chesf”.