As reivindicações dos caminhoneiros

Após o pedido de suspensão da nova tabela de frete, Wanderlei Alves, o Dedeco, citou outras reivindicações dos caminhoneiros que devem ser levantadas na reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, na quarta.

Em entrevista ao Globo, Dedeco destacou dois pontos, além da revisão da tabela do frete:

  • A linha do BNDES anunciada pelo governo no início do ano, que prevê crédito para manutenção dos veículos, e ainda não entrou em vigor. “Não saiu nada ainda. A linha prevê cobertura de custos de manutenção com os veículos. Mas os valores máximos oferecidos não são suficientes. A linha prevê no máximo R$ 30 mil. No mês passado, eu gastei R$ 56 mil para retificar o motor.”
  • Criação de um documento chamado Código Identificador de Operação de Transporte. Serviria para identificar as transportadoras que estiverem pagando valores de frete abaixo do piso.

Comentários

  • Marco -

    A medida comunista de tabelamento que subverte a oferta e procura nunca deu certo em nenhum lugar, só vai criar mais distorções, encarecer o frete e prejudicar ainda mais os caminhoneiros.

  • Lucas -

    Aqueles parasitas do PT fizeram farra con $ público, o mercado tá cheio de caminhoneiros e agora o atual governo tem que resolver o problema!!! Normal... Mais uma herança maldita do PT

  • Roberto -

    iguais o mbl, vociferam até chegar no pudê com um monte de babaquice, como essas greves de merrrddhhaa q não resolvem p..a nenhuma, pq q param só de domingo, na 2ª já estão de volta.

Ler 12 comentários