As toffolices de Toffoli

A imagem do Supremo Tribunal Federal conseguiu ficar pior ao longo de 2019, com Dias Toffoli livre para toffolar com a sua caneta poderosa de presidente da corte.

Em março, o ministro abriu um inquérito criminal e secreto para apurar supostas ofensas e ameaças que “atingem a honorabilidade e a segurança” dos magistrados do Supremo.

Aberto de ofício, com alvos indefinidos e sem pedido do Ministério Público, Toffoli designou arbitrariamente o ministro Alexandre de Moraes para relatar oTudo dentro da mais absoluta inconstitucionalidade.

A toffolice, claro, gerou reação aberta do Ministério Público, do meio jurídico e daqueles que ainda levam a sério a Constituição.

A então procuradora-geral da República, Raquel Dodge, questionou a legalidade da investigação e recomendou o arquivamento do inquérito — o pedido foi negado por Moraes.

O ministro Marco Aurélio Mello também defendeu o arquivamento e detonou a investigação aberta por Toffoli.

Os apoios a Toffoli e a Moraes evaporaram ainda mais quando o inquérito foi usado para censurar a revista Crusoé e o site O Antagonista, em 15 de abril.

Nesse dia, Moraes determinou que a Crusoé retirasse “imediatamente” do ar a reportagem de capa “O amigo do amigo de meu pai”. A decisão foi extensiva a O Antagonista.

A reportagem, publicada com base em documento que consta dos autos da Lava Jato, relata que Marcelo Odebrecht que o tal “amigo do amigo de meu pai”, citado em um e-mail, refere-se a Toffoli .

Por fim, pressionado pela imprensa e pela opinião pública, Moraes revogou a censura escandalosa.

Em 16 de julho, em uma canetada solitária durante o recesso do Judiciário, Toffoli suspendeu o andamento de todos os processos judiciais no país que envolvessem dados compartilhados por órgãos de fiscalização e controle (como Fisco, Coaf e Bacen), instaurados sem aval da Justiça.

A decisão ocorreu num pedido da defesa de Flávio Bolsonaro no inquérito aberto a partir das movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, ex-assessor do parlamentar.

A blindagem ao filho do presidente da República teve como consequência a paralisação de mais de 900 investigações, de todas as instâncias da Justiça.

O crime organizado agradeceu.

Por causa da canetada, Janaina Paschoal protocolou no Senado um pedido de impeachment do presidente do Supremo.

O despacho de Toffoli, como mostrou a Crusoé, tinha dupla utilidade.

Beneficiava Flávio e contemplava o próprio Toffoli e Gilmar Mendes, que andavam furiosos com as apurações internas da Receita Federal sobre movimentações financeiras dos magistrados e de seus familiares.

Na edição 68 da Crusoé, reportagem de Caio Junqueira e Fabio Serapião mostrou que o presidente do STF e Jair Bolsonaro costuravam um “acordão” a partir do qual a Lava Jato e outras investigações seriam as maiores prejudicadas.

Em novembro, o STF julgou a liminar de Toffoli que suspendeu todos os inquéritos baseados em informações do antigo Coaf e da Receita.

O voto do presidente da corte foi o mais longo e confuso da história do Supremo.

Luís Roberto Barroso comentou  o voto do colega: “Tem que trazer um professor de javanês”.

Nas sessões seguintes, por ampla maioria, o plenário garantiu a possibilidade de compartilhamento de informações sigilosas do antigo Coaf e da Receita com o Ministério Público e a polícia.

Em agosto, num evento para banqueiros, Toffoli resumiu assim a sua visão de mundo: “O Brasil ficou travado em quatro anos num moralismo enfrentando questões de ordem e esquecendo o progresso. Você nunca vai ter progresso se tiver que ter ordem como uma premissa.” Sim, repetindo, ele disse isso. É uma das frases do ano e, quiçá, do século.

Em dezembro, em entrevista ao Estadão, ele disse que a Lava quebrou empresas. É um pândego.

Toffoli continuará cometendo toffolices na presidência do STF até setembro de 2020.

OS NEGÓCIOS FENOMENAIS DE LULINHA. Leia aqui

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler comentários
  1. PPaulo disse:

    VG9mb2xpICBlaCB1bSBpbmNhcGF6IGUgdXN1cnBhZG9yIHF1ZW0gY29tIHNldSBzYWJ1am8gQWxleGFuZHJlIGRlIG1vcmFlcyAKaW1w9WUgYW9zIGJyYXNpbGVpcm9zICB1bWEgZGl0YWR1cmEgCmRlc3RlIFNURiBjb3JydXB0byBlIHByb3RldG9yIGRlCiBjb3JydXB0b3MgZSBsYWRy9WVzIGRlIGNvZnJlcyBw+mJsaWNvcy4g

  2. LLuiz disse:

    U/MgcmVzdGEgZGl6ZXI6IGNhbGEgYSBib2NhIE1hZ2RhLg==

  3. Jorge disse:

    VG9mZm9saSBlIEdpbGFtYXIgTWVuZGVzIGludGVncmFtIGEgYmFuZGEgcG9kcmUgZG8gU1RGIHF1ZSBwcm90ZWdlIGNvcnJ1cHRvcy4gQW1ib3MgZSBzdWFzIHJlc3BlY3RpdmFzIGVzcG9zYXMgZml6ZXJhbSBhdO1waWNhcyBtb3ZpbWVudGHn9WVzIGZpbmFuY2VpcmFzLiBJc3NvIHRlbSBxdWUgc2VyIGludmVzdGlnYWRvIQ==

  4. Magalhães disse:

    VW0gQnJhc2lsIGJhbmRpZG8uIE9uZGUgYmFuLmRpLmRvcyB0cmF2ZXN0aWRvcyBkZSBhdXRvcmlkYWRlIGZhemVtIGRlc3RlIHBh7XMgdW0gZXhlY2VsZW50ZSBhbWJpZW50ZSBwYXJhIG8gY3JpbWUuIE7jbyB0ZW0gamVpdG8uIEEgRkZBQSB0ZW0gcXVlIHplcmFyIHR1ZG8u

  5. Luiz disse:

    VG9mZm9saWNlcyDpIG11aXRvIGJvbSwgZXhjZXBjaW9uYWwgcmVzdW1vIGRlc3NlIFNyLg==

  6. Jorge disse:

    VG9mZm9saSDpIHVtIGNvbnR1bWF6IHByb3RldG9yIGRlIGNvcnJ1cHRvcy4gTyBlc3RyYWdvIHBhcmEgYSBzb2NpZWRhZGUgcG9kZXJpYSBzZXIgbWFpb3Igc2UgZWxlIGZvc3NlIGludGVsaWdlbnRlIGUgY2FwYXouIFRvZmZvbGksIHF1ZSBuZW0ganVpeiDpLCBz8yBlc3ThIG5vIFNURiBwb3JxdWUg6SBwZXRpc3RhLg==

  7. Antonio disse:

    QSBqdXN0aedhIHF1ZSBq4SBlcmEgaG9ycm9yb3NhIHBhc3NvdSBhIHNlciBhIHBpb3IgZG8gbXVuZG8sIHBpb3IgZG8gcXVlIHJlZ2ltZSBkaXRhdG9yaWFsIGRhIFZlbmV6dWVsYSwgcG9yIGzhIGV4aXN0ZSBhaW5kYSBhbGd1bWFzIGRlZmVjY/VlcyBhcXVpIGEgbm9zc2EgaW5zZWd1cmFu52EganVy7WRpY2EgYXRyYXBhbGhhIG8gY3Jlc2M=

  8. Rubens disse:

    UmVwcm92YWRvIERVQVMgVkVaRVMgbmEgcHJvdmEgcHJhIGp1aXouLi4gbWFzIGHtIGdhbmhvdSB1bSBjYXJndWluaG8gcPpibGljbyBkZSB1bSBwcmVzaWRlbnRlIGNvcnJ1cHRvIGUgYW5hbGZhYmV0byBlIGZvaSBwcm8gU1RGIHByYSBlbnZlcmdvbmhhciBhaW5kYSBtYWlzIGEganVzdGnnYSBicmFzaWxlaXJhLi4u

  9. Lili disse:

    VG9mZm9saWNlcyBmb2kg83RpbW8gcnMuIFVtIHDibmRlZ28sIGFs6W0gZGUgYnVycm8sIGluY29tcGV0ZW50ZSBjb20gZm9ydGVzIGluZO1jaW9zIGRlIGNvcnJ1cOfjbyBlbnRyZSBvdXRyb3MgY3JpbWVzLiBIb25lc3RpZGFkZSBu428gYW5kYSBkZSBt429zIGRhZGFzIGNvbSBwZXRpc3RhLg==

  10. REINALDO disse:

    TyBhbWlnbyBkbyBhbWlnbyBkbyBwYWkgZG8gTWFyY2VsbywgdGVtIHVtIGltcGVyY2VwdO12ZWwgc2FiZXIganVy7WRpY28sIHJlcHV0YefjbyBkdXZpZG9zYSBwcSBu428gZXNjbGFyZWNldSBvIG1lbnNhbGluaG8gMTAwIG1pbCwgcmVwcm92YWRvIDIgeCBjb25jdXJzbyBwcmEganVpeiwgbuNvIG1lcmVjZSBvIGNhcmdvIHF1ZSBvY3VwYS4=

  11. Justiceiro disse:

    UGFyYWLpbnMgQW50YWdvbmlzdGFzISBPIHTtdHVsbywgcGVyZmVpdG8hIFF1ZSBUT0ZPTElDRSwgZW0gYnJldmUsIGVzdGVqYSBubyBBdXLpbGlvIGRlc2NyaXRvIGNvbW86IGJhYmFxdWljZXMsIGZhbHRhIGRlIGludGVsaWfqbmNpYSwgcmFjaW9j7W5pbyBmYWxobywgYnVycmljZSwgZXRjLiBFeGVtcGxvOiBFc3RvY2FyIHZlbnRvIGRlIERp

  12. GILMAR disse:

    ySBuaXNzbyBxdWQgZOEgdmMgY29sb2NhciBwZXNzb2FzIHNlbSBhcyBtaW5pbWFzIGNvbmRp5/VlcyBwcmEgZXhlcmNlciBvIGNhcmdvIGVtIHF1ZSBmb2kgY29sb2NhZG8sIGHtLCAg6SBvIGFtaWdvIGRvIGFtaWdvIGRvIG1ldSBwYWksIGRhIHBsYW5pbGhhIGRlIHByb3BpbmFzIGRhIE9kZWJyZWNodC4g

  13. marcelo disse:

    RXNzZSBjYXJhIGZvaSByZXByb3ZhZG8gZHVhcyB2ZXplcyBuYSBwcm92YSBwYXJhIGp1aXogZSBmb2kgdHJhbnNmb3JtYWRvIGVtIGp1aXogZG8ganXtemVzICggc3RmKSBwb3IgbHVsYWRy428gcG9kaWEgZGFyIGVtIG91dHJhIGNvaXNhPw==

  14. mara disse:

    SW5mZWxpem1lbnRlIG8gcGHtcyB0ZW0gcSBhdHVyYXIgZXNzZSBpbmNvbXBldGVudGUgY29tbyBwcmVzaWRlbnRlIGRvIFNURiBxIG51bmNhIGRlaXhvdSBkZSBzZXIgbyBhZHZvZ2FkbyBkbyBQVC4gUGlvciBwcmVzaWRlbnRlIGRlIHRvZG9zIG9zIHRlbXBvcywgYWZyb250b3UgYSBzb2NpZWRhZGUgYy9kZWNpc/VlcyBJIE0gTyBSQSBJIFM=

  15. Rogemon disse:

    Q2FkZWlhIHBhcmEgZXNzZSBwZXRpc3RhIGFzbm8gZSBwYXJhIG8gY2hlZmUgZGVsZSBjb3JydXB0byBlIGxhdmFkb3IgZGUgZGluaGVpcm8hISE=