Assad usou Stock Car para lavar propina

Adir Assad criou em 2010 a J.Star Racing, equipe que compete na categoria de acesso da Stock Car. Para captar patrocínio, ele usou a Rock Star, empresa de fachada investigada na Operação Lava Jato.

Assad foi condenado na Lava Jato e voltou a ser preso na Operação Saqueador. Ele também entrou na Operação Abismo, que coletou notas fiscais frias emitidas para a Schahin por suposto patrocínio à equipe de corrida.

Além da Schahin, também “patrocinou” a equipe de Assad o TrendBank, que sumiu com dinheiro dos fundos de pensão.

Assad, chamado de Kibe na planilha da Odebrecht, é o piloto de um enorme esquema de repasses de propina a políticos, partidos e agentes públicos.

200