ACESSE

Assessor de Bolsonaro é banido do Facebook

Telegram

A decisão do Facebook de banir as contas bolsonaristas cita, entre os principais responsáveis pela divulgação de conteúdo inautêntico, Tércio Arnaud Thomaz, assessor especial de Jair Bolsonaro e um dos jovens recrutados por Carlos Bolsonaro para compor o chamado “gabinete do ódio”.

Pesquisadores americanos do Digital Forensic Research Lab (DRFLab) identificaram que ele é o responsável pela página Bolsonaro Opressor 2.0, com mais de 1 milhão de seguidores, e pela conta @bolsonaronewsss, no Instagram, com 492 mil seguidores e 11 mil posts.

As páginas, segundo o Facebook, publicavam “memes e conteúdo pró-Bolsonaro enquanto atacavam rivais políticos (…) O conteúdo era enganoso em muitos casos, empregando uma mistura de meias-verdades para chegar a conclusões falsas”.

Elas foram removidas, no entanto, não por causa do conteúdo, mas porque os responsáveis estavam se escondendo atrás de perfis falsos, de forma coordenada.

Além de Tércio, de 31 anos, compõem o grupo comandado por Carluxo os assessores José Matheus Sales Gomes, 26, e Mateus Matos Diniz, 25. Eles ficam no terceiro andar do Palácio do Planalto, numa sala a poucos metros do gabinete do presidente.

Os dois primeiros trabalham com o vereador desde 2013 e em 2017 passaram a ajudar na pré-campanha de Bolsonaro na internet, espalhando memes contra adversários.

Também foram removidas páginas ligadas a assessores de Flávio Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro e dos deputados estaduais Alana Passos e Anderson Moraes, do PSL no Rio de Janeiro.

Leia mais: Diogo Mainardi: 'Os generais tomaram o poder.' Clique para ler na íntegra

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 44 comentários