Assessoras fantasmas de Flávio recebiam 'mesada' de R$ 300 a R$ 1,9 mil, diz MP-RJ

Assessoras fantasmas de Flávio recebiam mesada de R$ 300 a R$ 1,9 mil, diz MP-RJ
Foto: Adriano Machado/Crusoé

A denúncia do MP-RJ contra Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz lista outras funcionárias de seu gabinete na Alerj, além de Luiza Paes, que devolviam ao esquema do filho 01 de Jair Bolsonaro a maior parte do seu salário, relatam Chico Otavio, Juliana Dal Piva e João Paulo Saconi em O Globo.

Em depoimento ao MP-RJ, Luiza não só admitiu que devolvia mais de 90% de seu salário e ficava com apenas R$ 700 todos os meses como disse que a mesma situação ocorria com assessoras “fantasmas” lotadas no gabinete.

“A partir do cruzamento de dados bancários, a promotoria identificou variações do que foi considerado como uma ‘mesada’ retida por elas antes da devolução dos salários, com valores entre R$ 300 e R$ 1,9 mil”, escreve o jornal carioca.

De acordo com a denúncia, o dinheiro pago pela Alerj a três assessoras “fantasmas” era devolvido a Queiroz por meio  de operações que, em geral, seguiam a mesma lógica: salários e benefícios depositados eram sacados das contas bancárias e repassados ao assessor de Flávio em dinheiro vivo, por depósitos sem origem identificada.

As defesas do senador do Republicanos e do seu ex-assessor negam as práticas irregulares apontadas pelo MP-RJ.

Leia mais: Documentos obtidos por Crusoé trazem revelações sobre o caso das rachadinhas que envolve o notório Fabrício Queiroz e Flávio Bolsonaro, o filho 01 do presidente
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO