Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Assim é complicado, Lira

O presidente da Câmara resolveu subir o tom contra integrantes do Ministério Público porque ainda não conseguiu tratorar a versão piorada da PEC da Vingança
Assim é complicado, Lira
Foto: Alan Santos/PR

Arthur Lira, chateado por ainda não ter conseguido aprovar a PEC da Vingança, resolveu partir para cima dos integrantes do Ministério Público.

“Comigo, é bateu levou”, disse, há pouco, o presidente da Câmara, reforçando que não vai mais negociar com o MP.

O Antagonista apurou que, durante a sessão de ontem, antes de a votação da proposta ser adiada pela terceira vez, a procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Ivana Cei, gravou um áudio para o presidente da Câmara.

A gravação está circulando entre deputados. Nela, Ivana se queixa de Lira e diz que o texto que estava sendo votado — apresentado momentos antes do início da sessão — não condizia com o que havia sido conversado com as associações do MP.

“Presidente, o texto que nos foi apresentado não tem nenhuma das modificações que Conamp, ANPR e CNPG conversaram com o senhor ou com os outros deputados. Essa é a situação. O texto que está sendo apresentado e votado não está condizente com o que foi conversado. Assim é complicado. A gente precisa chegar a um denominador e falar o que tem que ser feito. As alterações não estão [no texto]. Então, nós não podemos concordar com uma coisa que não está [no texto]”, disse a procuradora.

Em seguida a essa mensagem, como já registramos, Lira, conduzindo a sessão, perguntou ao relator biônico da PEC, deputado Paulo Magalhães, do PSD da Bahia:

“Estou falando agora com a doutora Ivana. Todas as alterações que foram negociadas no texto se encontram no relatório?”

“Sim, presidente. Agora, se quiserem acrescentar mais uma, nós não podemos aceitar”, respondeu o relator, que está fazendo tudo o que o presidente da Câmara manda nesse tema.

Não era verdade.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO