Associação aciona PGR contra 'discriminação' da ozonioterapia

Associação aciona PGR contra discriminação da ozonioterapia
Foto: Pedro França/Agência Senado

A Sociedade Brasileira de Ozonioterapia Médica (Sobom) pediu à PGR que investigue suposta “discriminação” do Conselho Federal de Medicina (CFM) com a prática, informa a Folha.

A técnica ficou conhecida após um prefeito sugerir a aplicação do gás pelo ânus no tratamento para Covid-19.

A ozonioterapia consiste na aplicação de uma mistura dos gases oxigênio e ozônio.

Sem comprovação científica, o CFM autoriza a utilização da técnica somente de forma experimental.

Em petição enviada a Augusto Aras, a Sobom acusa o CFM de discriminar a ozonioterapia, uma vez que a hidroxicloroquina, que igualmente não possui comprovação científica, foi liberada.

“Outra explicação para essa resistência é a questão econômica. A hidroxicloroquina não representa nenhuma ameaça sob o ponto de vista financeiro para o sistema estabelecido no Brasil em relação ao tratamento medicamentoso tradicional. A Ozonioterapia pode impactar, e muito, nessa questão, pois representa potencial economia de recursos do SUS entre 20% a 80%.”

Leia mais: Sócios no desastre: a responsabilidade dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 12 comentários
TOPO