ACESSE

Ata de reunião registra mudança de discurso do Ministério da Saúde

Telegram

Após descumprir promessas de entregas de testes, leitos de UTI, respiradores e equipamentos de proteção individual (EPIs), o Ministério da Saúde mudou a orientação sobre compras contra a Covid-19, transferindo a responsabilidade para estados e municípios, relata o Estadão.

A mudança de discurso foi registrada na ata de uma reunião do Centro de Operações de Emergência da pasta, em 17 de junho, já sob a gestão interina do general Eduardo Pazuello.

O documento, diz o jornal paulistano, sugere “deixar claro” que o ministério “não tem a responsabilidade de fornecer respiradores e EPIs”.

“Isso ocorreu devido à atual conjuntura da emergência e da falta de atendimento no mercado, porém hoje já estamos com um panorama mais estabilizado, possibilitando aos Estados usarem suas verbas destinadas a esta emergência para aquisição”, registra a ata.

O documento da reunião não diz de quem partiu a fala sobre mudar o discurso para compras, mas o Estadão apurou que a orientação foi de auxiliares de Pazuello.

O COE é um órgão que serve para orientar o ministro da Saúde sobre ações na pandemia e já o alertou sobre benefícios do isolamento, falta de remédios para UTI e sobras de cloroquina.

Foto: Erasmo Salomão/MS

Leia mais: O erro dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 17 comentários