ACESSE

Áudios de mulher de Fabrício Queiroz vinculam Wassef ao codinome 'Anjo'

Telegram

O Ministério Público do Rio obteve uma mensagem de áudio que vincula o nome do advogado Frederick Wassef ao apelido “Anjo”. A informação é de O Globo.

“Anjo” foi o nome da operação que prendeu Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, numa casa em Atibaia pertencente a Wassef.

Wassef já negou que seja conhecido como “Anjo”.

Queiroz foi assessor de Flávio na Alerj de 2007 a 2018. Em 15 de outubro de 2018, Flávio demitiu Queiroz. No mesmo dia, seu pai Jair Bolsonaro demitiu a filha dele, Nathalia Queiroz, empregada em seu gabinete na Câmara dos Deputados.

Segundo O Globo, em 1º de novembro de 2019 Marcia Aguiar, mulher de Queiroz, enviou para o advogado Luiz Gustavo Botto Maia uma foto de Queiroz dormindo e o seguinte áudio:

“Ele e Felipe foram levar a Ana (Flávia Rigamonti, advogada que trabalhava com Wassef) em São Paulo porque o Anjo queria falar com ela. Aí ele disse que deixou a Ana lá na casa do Fred e quando estava indo embora, falou: ‘Felipe, vamo para o Rio? Vieram para o Rio sem mochila, sem nada. E chegou hoje de manhã aqui, mas pediu para não falar com ninguém não que ele tá aqui”.

Botto respondeu por mensagem de texto: “Maluco. Mais tarde vamos tomar cerveja”.

O jornal O Globo publicou por enquanto apenas a transcrição, mas não o áudio em si.

Em conversa em novembro, Marcia perguntou a Queiroz: “Anjo falou alguma coisa?”.

Queiroz, cujo contato estava salvo como “Casa Q” no celular dela, respondeu: “Não” e, em seguida, completou: “Ele tá que (sic) em Brasília”.

Assista também:

Foto: Adriano Machado/Crusoé

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 19 comentários