Autor da CPI defende Barroso, fala de possíveis retiradas de assinaturas e cutuca Flávio

Autor da CPI defende Barroso, fala de possíveis retiradas de assinaturas e cutuca Flávio
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Randolfe Rodrigues (Rede), autor da CPI da Covid, disse a O Antagonista que as críticas ao ministro do STF Luís Roberto Barroso pela decisão de mandar instalar a comissão são “completamente infundadas”.

Ora: a decisão pela CPI não foi do Barroso, foi de 32 senadores que assinaram o documento. O Barroso só fez dizer ontem: ‘Cumpra-se a decisão’. Pela Constituição, um requerimento de CPI com 27 assinaturas precisa ser lido em plenário. E nós conseguimos mais do que 27 assinaturas.”

Sobre o receio entre os senadores pró-CPI, nos bastidores, de que alguns signatários possam retirar apoio ao pedido, Rodrigues comentou, subindo o tom:

“Quem retirar assinatura da CPI escreverá seu nome no painel da infâmia e ficará para a história como cúmplice de genocida.”

O senador pelo Amapá ainda criticou as declarações, na manhã de hoje, de Jair Bolsonaro, que, entre outras coisas, cobrou que Barroso também determine, por exemplo, a análise de pedidos de impeachment de ministros do STF.

“Ué, mas é o filho dele aqui, Flávio Bolsonaro, quem não assina nenhuma CPI, como a CPI da Lava Toga. O filho dele foi o primeiro a obstruir a CPI da Lava Toga e os pedidos de impeachment de ministros do STF.”

Leia mais: O impeachment de Bolsonaro entra na agenda.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO