Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Autor da Lei da Ficha Limpa diz que flexibilização era desnecessária

Márlon Reis afirmou que aprovação foi feita de maneira muito rápida, o que dificulta o acompanhamento pela população
Autor da Lei da Ficha Limpa diz que flexibilização era desnecessária
Divulgação

O novo golpe na Lei da Ficha Limpa, dado hoje pela Câmara, mostrou como a sociedade tem tido dificuldade em acompanhar as aprovações de leis no Legislativo, segundo Márlon Reis, advogado, ex-juiz de direito e um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa.

“Não tem como acompanhar, em plena pandemia, discussões apressadíssimas, direto no plenário. É impressionante.”

O advogado disse ainda que “a única pendência à inelegibilidade é a aplicação da Lei da Ficha Limpa como foi aprovada”, mas que agora isso fica muito mais complicado.

Ele também afirmou que as mudanças eram desnecessárias, pois a lei “já tinha muita temperança, sem qualquer necessidade de elastecer”.

Por 345 a 98, o plenário da Câmara aprovou hoje, de forma relâmpago, uma proposta que torna elegíveis políticos e gestores públicos que tiveram as contas rejeitadas pelos órgãos de controle.

O projeto altera a Lei da Ficha Limpa para liberar a candidatura daqueles que cometeram irregularidades dolosas e insanáveis previstas na Lei de Improbidade Administrativa, mas que foram punidos “apenas” com multa.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO