Autor de projeto prevê rápida aprovação da vacinação privada e rebate críticas

Autor de projeto prevê rápida aprovação da vacinação privada e rebate críticas
Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Em reunião há pouco do colégio de líderes, deputados concluíram haver condições de votar ainda hoje, no plenário da Câmara, o requerimento de urgência do projeto que amplia as possibilidades para a iniciativa privada comparar vacinas contra Covid.

O autor da proposta que será votada, deputado Hildo Rocha (MDB), acredita, inclusive, que o texto pode ser votado também hoje.

Tem um certo acordo para votar e aprovar. E acredito que no Senado não haverá resistências e eles poderão aprovar rápido também”, disse Rocha a O Antagonista. O deputado, que pegou Covid, chegou a ter 90% do pulmão comprometidos, mas se recuperou. “É uma doença complicada”.

O ponto principal do projeto é autorizar o setor privado a comprar vacinas já, sem esperar, como prevê a legislação em vigor, o governo imunizar os grupos prioritários.

Pelo relatório da deputada Celina Leão (PP), os empresários terão duas opções: 1) comprar as vacinas e doar metade para o SUS; 2) comprar vacinas e garantir a vacinação dos trabalhadores e de seus familiares de primeiro grau.

Celina retirou do texto a previsão de abatimento da compra de doses do Imposto de Renda, um dos trechos que mais causaram resistência na Câmara.

Na reunião de há pouco, lideranças, principalmente de partidos de esquerda, sustentaram o argumento de que a vacinação privada é “furar a fila”.

Hildo Rocha rebateu:

Não é furar fila coisa alguma. A vacinação pelas empresas vai acontecer em paralelo com o plano nacional de imunização. E o governo já comprou vacinas em quantidade mais que necessária para imunizar toda a população. Esses mesmos partidos que falam isso apresentam todo dia projetos para aumentar o escopo dos grupos prioritários: isso, sim, é furar fila.”

Perguntamos a Rocha se ele tem conhecimento de onde as empresas comprarão vacinas e quando elas chegariam ao país, após eventual aprovação do projeto e assinatura de contratos.

Eu sei que tem muita vacina para vender, sim. E que do jeito que a legislação está o empresário não tem motivação alguma para comprar nada.”

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
TOPO