Autor do projeto fala em "arbitrariedade da Receita" ao defender perdão às igrejas

Autor do projeto fala em “arbitrariedade da Receita” ao defender perdão às igrejas

O deputado Marcelo Ramos (PL), autor do projeto no qual foi inserido o jabuti que garantiu o perdão às dívidas das igrejas com o Fisco, comentou o veto parcial de Jair Bolsonaro à proposta.

Em mensagem enviada a O Antagonista, ele defendeu as igrejas, disse que não há que se falar em “anistia” e criticou o que chamou de “arbitrariedade da Receita”.

“Essa questão envolvendo a suposta anistia de dívidas tributárias das igrejas é um equívoco. As igrejas não devem nada porque a Constituição e o STF deram a elas imunidade tributária. Ninguém deve o que a Constituição diz que não precisa pagar. Quem quiser mudar isso tem que mudar a Constituição.”

Ramos acrescentou:

“Como a arbitrariedade da Receita é contra as igrejas, surgem essas narrativas. Quero ver quando essa arbitrariedade avançar sobre empresas, cidadãos, órgãos da imprensa. Perderemos a moral para reagir.”

Leia mais: Exclusivo: a máquina de lobby da Odebrecht teria sido usada, com a anuência de Toffoli, para ajudar na aprovação do nome dele para o Supremo
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 63 comentários
TOPO