Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Autoridades e cônjuges gastaram ao menos R$ 500 mil de verba pública em Lisboa, diz jornal

Fórum jurídico organizado pelo Instituto Brasiliense de Direito Público, que tem Gilmar Mendes como sócio, reuniu políticos e servidores
Autoridades e cônjuges gastaram ao menos R$ 500 mil de verba pública em Lisboa, diz jornal
Foto: Reprodução/Twitter

Autoridades e cônjuges que foram a Portugal para participar do IX Fórum Jurídico de Lisboa, organizado pelo Instituto Brasiliense de Direito Público, que tem Gilmar Mendes como sócio, gastaram ao menos R$ 500 mil de verba pública durante a viagem, diz a Folha.

O valor inclui as despesas com passagens de avião, diárias e seguros para ministros do Executivo, do TCU, presidentes de agências reguladoras, parlamentares e seus cônjuges, além de servidores.

Segundo o jornal, um avião oficial das Forças Armadas foi usado por 5 deputados e seus cônjuges, incluindo Arthur Lira, que levou sua esposa. Eles viajaram no dia 9 e retornaram dia dia 17. Soraya Santos, Paulo Azi, Arlindo Chinaglia, Margarete Coelho também teriam aproveitado a “carona”. De acordo com a reportagem, a Aeronáutica não informou o valor da despesa.

Flávia Arruda, ministra da Secretaria de Governo do presidente Jair Bolsonaro, por exemplo, teve um custo de R$ 9.229 em passagens e seguro com a viagem para Portugal, segundo dados do Portal da Transparência. Arruda, que ministrou um painel no evento, levou sua assessora especial, Larissa de Morais Marra, que gastou R$ 30,6 mil dos cofres públicos, somando R$ 5 mil em passagens, taxas e R$ 24.739 mil em diárias.

Já o ministro Vital do Rêgo, do TCU, foi ao evento com custos de R$ 9,4 mil em passagens e R$ 17 mil em diárias. Ele não palestrou no evento. Seu colega Bruno Dantas, que também participou do fórum, informou que não demandou recursos públicos para a viagem.

O presidente do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), Alexandre Cordeiro, gastou R$ 30,8 mil com a viagem, sendo R$ 7,6 mil de passagens e R$ 22,7 mil em diárias, segundo o Portal da Transparência. Já diretor-presidente da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), Paulo Roberto Rebello, usou R$ 25,7 mil de recursos públicos na viagem.

​A matéria ainda diz que a diretora-presidente da ANA (Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), Christianne Dias, gastou R$ 49,1 mil em sua viagem internacional para Espanha, Holanda e Portugal. Segundo o jornal, ela prolongou a temporada no exterior para participar do evento do IDP, mas não era palestrante.

Lindôra Araújo, subprocuradora-Geral da República, teve o afastamento do país “com ônus, sem prejuízo de suas atribuições funcionais”, no período de 13 a 19 de novembro de 2021, inclusive trânsito, para participar do evento. De acordo com a matéria, a PGR não informou o custo com a viagem, e alegou que “a participação em eventos por membros do MPF se dá de forma oficial”.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO