Autorização emergencial da vacina da Janssen é suficiente para doses compradas pelo governo

Autorização emergencial da vacina da Janssen é suficiente para doses compradas pelo governo
Foto: Dimhou/Pixabay

O gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes Lima Santos, informou nesta terça (31) que a autorização para uso emergencial da vacina da Janssen é suficiente para contemplar os 38 milhões de doses comprados pelo governo, desde que nada mude na fabricação.

Em coletiva de imprensa online, Mendes esclareceu que a autorização não é a respeito de um lote específico de vacinas, como ocorreu com o 1º lote importado da Coronavac, mas para todas as vacinas produzidas da mesma forma registrada no pedido.

Assim, a vacina da Janssen adquiriu ‘status’ semelhante à da Coronavac, que a partir de seu 2º lote no Brasil, o primeiro envasado no Butantan, recebeu autorização para todas as doses produzidas da mesma forma.

A Janssen precisará de outra autorização apenas se mudar alguma coisa na fabricação, como usar locais, método ou recipientes diferentes dos documentados.

A vacina da Janssen é a quarta a obter aprovação no Brasil. A Coronavac tem autorização para uso emergencial, e as vacinas da AstraZeneca/Oxford (envasada pela Fiocruz) e da Pfizer já possuem registro.

Lotes da Covishield, fabricada na Índia, também receberam autorização para uso emergencial, mas ela é um genérico da vacina da AstraZeneca.

Em 19 de março, a Janssen, farmacêutica do grupo Johnson & Johnson, confirmou ter assinado contrato com o Ministério da Saúde para 38 milhões de doses de sua vacina.

Segundo o Ministério da Saúde publicou naquele dia, o contrato prevê 16,9 milhões de doses com entrega de julho a setembro, e 21,1 milhões de outubro a dezembro.

Entre as principais vacinas contra Covid aprovadas no mundo, só a da Janssen é aplicada em dose única.

Leia mais: A causa desse desgoverno é política, como mostra a Crusoé desta semana.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO