Auxílio emergencial: PEC acaba com gasto mínimo em educação e saúde

Auxílio emergencial: PEC acaba com gasto mínimo em educação e saúde
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O relatório da PEC que prorroga o auxílio emergencial acaba com os gastos mínimos em saúde e educação, informa o Globo.

Pela Constituição, estados e municípios devem aplicar pelo menos 25% daquilo que arrecadam com tributos federais em educação. No caso da saúde, o percentual mínimo de investimento é de 12% para estados e de 15% para os municípios.

A PEC emergencial, cujo relator é o senador Márcio Bittar (MDB-AC), será votada na próxima quinta-feira.

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO