“Avareza corporativa em busca de penduricalhos indefensáveis”

A Folha de S. Paulo, em editorial, falou sobre a “profunda imoralidade” da greve dos juízes.

Leia um trecho:

“Chega a ser difícil acreditar que juízes federais tenham levado adiante a ideia de cruzar os braços nesta quinta-feira.

Não bastasse o absurdo de uma greve de magistrados, o motivo é vil. Protesta-se contra a mera perspectiva de julgamento, pelo Supremo Tribunal Federal, das regras para a concessão do auxílio-moradia — que se converteu, nos últimos anos, em farra (…).

O Judiciário, reconheça-se, tem feito esforços importantes para enfrentar suas mazelas. Entre eles se destaca a própria criação do CNJ, responsável pela coleta de boa parte das cifras aqui citadas, num avanço de transparência que favorece os diagnósticos e as diferentes propostas de ação.

Em seus quadros há profissionais de inegáveis competência e retidão. O Poder ganhou justo reconhecimento da opinião pública por sua atuação na Lava Jato e em outros episódios que romperam tradições de impunidade no país.

Esse é o rumo a ser seguido, não o da avareza corporativa em busca de penduricalhos indefensáveis.”

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 33 comentários
  1. http://radioagencianacional.ebc.com.br/geral/audio/2018-03/cnj-autoriza-gratificacao-de-r-96-mil-para-juizes-que-fazem-audiencias-de

    O Conselho Nacional de Justiça derrubou a liminar que suspendia a gratificação de juízes que fazem audiência de custódia no Rio de Janeiro. Com a decisão, os magistrados fluminenses podem receber uma gratificação de 1/3 do salário para se deslocarem até as audiências de custódia.

    O benefício pode chegar a R$ 9,6 mil por mês. O Conselho, porém, decidiu que o pagamento do benefício não pode ultrapassar o teto do funcionalismo público, que é de cerca de R$ 33 mil.

    O CNJ entendeu que o benefício remunera um acúmulo de função. Mas teve divergências. O conselheiro Valdetário Monteiro defendeu a suspensão do benefício. Mas o conselheiro Valdetário foi vot

  2. Com um judiciário desses, nao me admira que os bandidos tenham tomado conta das ruas, esperto pra defender suas mordomias, muitas imorais como o auxilio moradia pra quem tem imóvel na cidade e leniente com marginais, e agora receberão também o auxilio para quem participa de audiências de custodia, e serao mais 9 mil reais

  3. Pode ser imoral, porem absolutamente legal…..illegal seria nao prender o Lula e outros politicos, apos as seguidas condenacoes nas devidas instancias….nao prender significa incentivar o crime..

  4. Ignara Folha Folhetinesca não compreende que a egrégia magistratura luso-brasileira de Antigo Regime é espelho vivo, espelho meu – no eclodir do Ovo da Serpente da Era Digital Exponencial – do teatro burlesco dos acontecimentos mundanos et palacianos, escritos e narrados pelo pensador francês da vida como ela é… et cronista social: Molière Forever… pelo menos, para a imortal Guilda Nacional dos Juízes et Magistrados.

  5. Num país onde pessoas morrem por falta de atendimento médico, por falta de remédios ou até mesmo por falta de uma alimentação adequada; num país onde muitos moram precariamente debaixo de pontes, viadutos ou árvores, dá nojo ouvir falar nessa greve estúpida.

  6. Imoral???? Esses caras ganham bem pra caramba e ainda querem mais… Solução do problema: reduzir o salário desses juízes em cinquenta por cento e essa diferença dar um aumento para a PM de 100%…

  7. O auxílio-moradia foi concebido como compensação a funcionários obrigados a mudar de cidade. O espírito corporativista, porém, desvirtuou o dispositivo para transformá-lo em reajuste salarial disfarçado. Pior: como se trata tecnicamente de indenização, nem sequer há Imposto de Renda sobre o montante.
    .
    Poucos setores da sociedade se mantiveram tão protegidos quanto os juízes das tormentas econômicas recentes do país.
    .
    Em média, cada um custa R$ 47,7 mil mensais aos cofres públicos, bem acima do teto de R$ 33,8 mil fixado para o funcionalismo. Gozam de estabilidade no emprego e têm direito a dois recessos anuais.

  8. Num país que amarga desemprego de 12% e queda da renda per capita de 8,5% desde 2013, os queixumes dos magistrados soam, na melhor hipótese, risíveis.
    .
    O Judiciário consome 1,3% do PIB, o que não tem paralelo entre as principais economias mundiais. A principal explicação para o gasto exorbitante está no número de servidores: são 205 para cada 100 mil habitantes, contra 67 na Alemanha e 150 na Argentina, por exemplo.
    .
    E, a despeito de tanta mão de obra, a exasperante lentidão de seus serviços é conhecida de todos os brasileiros.

  9. O Brasil não tem a mínima chance de dar certo!
    Povo ignorante e idiotizado.
    Políticos corruptos.
    Juízes mercenários.
    Autoridades venais.
    Imprensa seletiva.
    Lulladrão teu lugar é na prisão! ! !

  10. Essa gentalh@ do judiciário sempre se igualou à gentalha do executivo e do legislativo. A maior prova é o Brasil ser o impunidade, da corrupção e dos crimes generalizados. As raras e dignas excessões são o que ainda nos fazem crer que um dia tudo se reverta. Mas está cada vez mais difícil essa crença. Chamar essa gentalh@ de bandida é ofender a bandidagem, o que faz mas não mente, não engana e não ilude. Pulitikús e esses juizecosdemerd@ são muito piores e mais letais.

  11. Parabéns à Folha pelas palavras acertadas e até, de certa forma, contidas. Eu iria um pouco além: o CNJ precisa escancarar a imoralidade de juízes e ministros de cortes superiores afrontarem a Constituição Federal, ao manterem instituições de ensino como empresários e não apenas como professores, que é a única segunda atividade remunerada permitida a eles. Tem muito juiz no Brasil que dirige instituições de ensino, com um “laranja” assumindo o cargo publicamente. O caso então do ministro Gilmar Mendes já é um acinte total. é vergonhoso para a própria Corte Suprema.

  12. O “novo normal” do Brasil. O maior presidente da República que o País já teve sob ameaça de prisão iminente, juízes federais em greve pela manutenção de auxílios-moradias, salarios de 100,000,00 duas ferias e professores reprimidos com pauladas violência em São Paulo por 3oo rais
    “A prisão de Lula já é dada como fato consumado no país em que tudo agora virou ‘o novo normal’. Da mesma forma, juízes federais entram tranquilamente em greve, enquanto professores municipais em São Paulo, apanham da polícia na Câmara Municipal, e uma vereadora do PSOL é assassinada na Guerra do Rio”.

    “Os marajás do serviço público entram em greve porque querem ganhar ainda mais, mesmo fazendo parte do Judiciário mais caro do mundo, como mostram gráficos do editorial:

  13. O corporativismo dos profissionais de direito dos setores público e privado é um dos maiores problemas do Brasil, com efeitos nefastos na economia e no cotidiano do cidadão. Tem muito bandido de yoga e muito bandido em escritório de advocacia que deve ser preso e ter seu patrimônio confiscado.

  14. JUDICIÁRIO SE “APEQUENANDO”…!
    É lamentável que Juíze, que ganham muito bem, queiram manter privilégios e vantagens indevidas.
    Quem paga? Nós! Contribuímos para dar boa vida a quem trabalha pouco, mas tem grandes privilégios!