Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Aziz diz que Bolsonaro cometeu crimes sérios na pandemia, mas não genocídio

Presidente da CPI da Covid defende foco em acusações com evidências consistentes e diz que não há provas de advocacia administrativa de Flávio Bolsonaro
Aziz diz que Bolsonaro cometeu crimes sérios na pandemia, mas não genocídio
Foto: Pedro França/Agência Senado

Em entrevista a O Globo nesta terça (19), o presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, disse estar comprovado que Jair Bolsonaro cometeu delitos sérios na pandemia da Covid, entre eles crime contra a humanidade e charlatanismo.

O senador amazonense, porém, defendeu retirar do parecer final de Renan Calheiros, cuja leitura está prevista para esta quarta (20), a acusação de genocídio contra indígenas por parte do presidente. No lugar, seria incluído um encaminhamento para aprofundar as investigações sobre o tema pelo Ministério Público, após o encerramento da CPI.

Aziz alegou que é preciso focar em acusações que possuem evidências consistentes, para evitar questionamentos posteriores. Em entrevista ao Papo Antagonista ontem, o presidente da comissão já havia criticado o relator, dizendo que o vazamento do parecer de Renan havia sido uma forma de “impor o relatório sem discutir com ninguém”.

Ao jornal carioca, o presidente do colegiado também disse ser contra sugerir o indiciamento de Flávio Bolsonaro pelo crime de advocacia administrativa, como consta na minuta do relatório de Renan, por avaliar que não há provas suficientes.

O senador afirmou ainda que vai pedir a exclusão do nome de Silas Malafaia da lista de possíveis indiciados.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO