Baiano, Lava Jato e a Pixuleco II

A escolha da Polo Capital, que pertence a Marcos Duarte – parceiro de cobertura de Fernando Baiano -, foi feita por Licio Costa Raimundo, diretor de investimentos da Petros, e Thais Brescia, gerente de crédito privado. E daí?

E daí que Thaís foi da VIS Investimentos, empresa de Alexandre Romano, o Chambinho, pivô da Operação Pixuleco II que foi fatiada e enviada para São Paulo. O Antagonista denunciou aqui a nomeação de Brescia para a Petros e para o conselho fiscal da Sete Brasil. Em sua última edição, a revista ISTOÉ também relaciona Licio Costa com a VIS Investimentos.

Em suma, a cúpula da Petros ligada a Chambinho aprovou contrato para a empresa do amigo de Baiano. A Pixuleco II precisa voltar urgentemente para a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Veja mais em:

Exclusivo: Amigo de Baiano fechou contrato com a Petros

Baiano com vista para o mar

Baiano premia