Bancada evangélica dividida

Bancada evangélica dividida
Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A bancada evangélica deve decidir hoje quem será o novo líder. A disputa, como mostramos, está entre Sóstenes Cavalcante (DEM) e Cezinha de Madureira (PSD).

A disputa expõe um racha na bancada que, entre altos e baixos, se arrasta desde setembro, quando Jair Bolsonaro vetou o perdão de R$ 1 bilhão de dívidas de igrejas.

Sóstenes é o aliado de Silas Malafaia mais próximo dentro do Congresso. Ele é da Assembleia de Deus Vitória em Cristo e está na Câmara desde 2015.

Quando Bolsonaro sinalizou o veto ao perdão das igrejas, o deputado disse que a medida seria um “absurdo” e chegou a comparar o presidente a Pilatos, que “lavou as mãos” para a morte de Jesus.

Cezinha, por outro lado, integra uma parte da bancada evangélica que é mais bolsonarista. No caso do veto às dívidas, por exemplo, o deputado defendeu que a frente parlamentar seguisse o presidente, independente de sua posição.

Ontem à noite, a bancada se reuniu em um jantar para comemorar o fim do ano. Os parlamentares tentam fechar um acordo entre os dois candidatos, para que haja uma candidatura única.

“É muita oração”, disse um deputado da bancada a O Antagonista.

Leia mais: Crusoé revela documentos de leniência que a holding JBS omitiu da Justiça. Há ainda novos detalhes de repasses feitos a ministros do atual governo e ao Instituto Lula.
Mais notícias
TOPO