Barroso: "Há um Brasil que dá certo"

Barroso: “Há um Brasil que dá certo”
Foto: Carlos Moura/SCO/STF

Luís Roberto Barroso, em artigo na edição especial da Crusoé, pede licença para contar uma história do Brasil que dá certo.

“Evitando o pior, era preciso considerar a possibilidade do adiamento [das eleições municipais], ainda que dentro de 2020, para impedir a prorrogação dos mandatos. O TSE, então, constituiu uma comissão de médicos, composta por infectologistas, sanitaristas, epidemiologistas, um biólogo e um físico especializado em modelagem de epidemias para monitorar a evolução da pandemia. Por unanimidade, a comissão concluiu que adiar a votação por algumas semanas minimizaria o risco de contágio. Com essa informação, o TSE contatou os presidentes do Senado Federal, Davi Alcolumbre, e o da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que, em tempo recorde, aprovaram emenda adiando as eleições em 42 dias. O adiamento se revelou acertado e as eleições se realizaram quando o número de casos havia caído significativamente.”

LEIA AQUI o artigo completo na Crusoé; assine a revista e apoie o jornalismo independente.

Leia mais: Como se articulam advogados criminalistas e filhos de ministros de tribunais superiores alvos de investigações para blindar-se na Justiça.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 46 comentários
TOPO