Bertin pagou 57 milhões a Funaro, Cunha e Geddel por empréstimo da Caixa para obras do Rodoanel

No relatório final da Operação Cui Bono?, a Polícia Federal acusa o Grupo Bertin de ter pago R$ 57,3 milhões em propina ao doleiro Lúcio Funaro para obter um empréstimo de R$ 2 bilhões na Caixa – o dinheiro era para obras do trecho leste do Rodoanel, em São Paulo.

A obra foi iniciada em 2011 e concluída em 2015.

Segundo os investigadores, o dinheiro teria sido dividido por Funaro com Eduardo Cunha e Geddel Vieira Lima, ambos presos. A investigação se baseou na colaboração premiada de Funaro, que entregou planilhas e notas fiscais com a indicação de 63 transações feitas pela Contern, construtora da Bertin que executou a obra.

O FIM DOS AMIGOS DA ONÇA NO PLANALTO. LEIA AQUI

O dinheiro foi escoado por meio de duas empresas do doleiro, entre os anos de 2013 e 2015.

Comentários

  • Rodô-o-anél-do-gedéu -

    ( autoexplicativo )

  • Tudo -

    PQP! Tudo junto e misturado!

  • Eu -

    E o STF, capitaneado pelo Gigi, com peninha dos corruptos que são pegos em mau feitos. Culpados somos nós, os roubados e a Lava Jato, com a PF e o Moro, que insistem em pegá-los e recuperar parte da grana desviada... Muita raiva ao vê-lo na Globo News, ontem a noite. Paladino da Justiça!

Ler 8 comentários