Blogs de joelhos

Michel Temer tem de tirar a publicidade estatal de todos os blogs mercenários.

Foi o que O Antagonista sugeriu ontem.

E o que fez Michel Temer?

Reuniu-se com Thomas Traumann, ministro da Secom de Dilma Rousseff e principal provedor de publicidade estatal para comprar os blogs mercenários.

Reinaldo Azevedo comentou:

“Quando Traumann era ministro de Dilma, veio a público um documento em que ele fazia um diagnóstico da comunicação do governo.

O texto trazia propostas francamente ilegais e passos de uma guerra suja.

O documento admitia que os ditos ‘blogs progressistas’, popularmente conhecidos como ‘blogs sujos’, trabalhavam — e trabalham — de maneira coordenada com o Palácio.

Não sei por que o sr. Thomas Traumann foi convidado para a reunião com Michel Temer. Uma coisa dá para assegurar: por bons motivos, dada a obra dele no governo, não foi. Espero que não tenha sido para começar a cooptar a rede suja, que, claro!, vai ter de procurar uma fonte de renda quando o governo petista cair. Alguns ficam de joelhos por ideologia. Mas outros é por grana mesmo”.

21 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. Atenção povo do Rio de janeiro, Se vcs guardarem uma bom memória desse dia, nunca mais votem em nem um dos “Garotinho”. Muito estranho que a Clarissa Garotinho tenha entrado em licença médica, por estar na 35/36a. semana de gestação, justamente a partir do DIA 15, e não dia 18, amanhã. Muita coincidência, digo, a data da licença médica. Mulheres há pelo Brasil que trabalham (que trabalham) até a última semana de gravidez, algumas, em regiões mais remotas, lavam roupa em riachos, cuidam da casa, etc. Essa senhora, que havia se declarado a favor do impeachment, sai de licença assim????

  2. – Maluf perto da CORJA é um trombadinha. Ele era do tempo que até BANDIDO tinha palavra. Maluf manteve a palavra, contrário do que a CORJA fofocou. É preciso fazer divisão da CORJA que joga o PAÍS INTEIRO na miséria pra saciar sua sede de poder de corruptos comuns. –