Boeing não tem interesse em área militar da Embraer

Telegram

O ministro Raul Jungmann disse mais cedo que daria à Boeing aval para assumir a divisão militar da Embraer, num eventual acordo entre as empresas.

O Antagonista apurou que não há interesse da fabricante americana no segmento de Defesa da companhia brasileira.

Os Super Tucanos já são produzidos nos EUA pela Sierra Nevada Corporation e o projeto do cargueiro KC-390 é considerado comercialmente inviável – a situação piorou com a suspeita de problemas estruturais, após um acidente com a aeronave em novembro.

Uma parceria na área militar teria sido possível, caso o governo Dilma tivesse escolhido o F-18 para equipar a Força Aérea.

O acordo com a sueca Saab para a fabricação do NG Gripen virou um impedimento, pois prevê transferência de tecnologia para a Embraer “brasileira”, não para uma Embraer “americana”.

Comentários

  • Alexandre -

    Esse desdém é capcioso!... Conforme vem sendo melhor informado por outros canais, a Boeing TEM SIM interesse nos projetos militares, principalmente em certos componentes do Gripen NG, que estariam acessíveis caso a empresa absorvesse a Embraer. Esse papo de falha de projeto é o desdém tipico de quem quer minimizar a importância para facilitar os acordos. O KC-390 é uma opção excelente no seu "Range de operações". A Embraer já tem seu capital aberto... Não precisa deixar de existir(como a McDonnel Douglas, que foi igualmente comprada e depois extinta, com seu quadro de funcionarios praticamente todo demitido). O Brasil perderá mais uma vez a prevalência em ser um fornecedor à um mero consumidor(lembrem-se que a Boeing NEGOU a tranferência de tecnologia para o Brasil!).

  • Billy -

    Claro, não poderia haver outra opção! É a prova que a intervenção estatal é uma praga e que deve ser banida do nosso Brasil. A FAB e o governo atrapalham a vida da EMBRAER e agora está aí o resultado. Vamos nos livrar do intervencionismo na empresa e também em outras estatais privatizando tudo, inclusive a famigerada PTrobras.

  • joao -

    Pelo volume alto de críticas militares analíticas nos comentários urge! ao antagonista press release contratar serviços consultores mass media de informação militar e da comunidade militar de inteligência e segurança.

Ler 55 comentários