A bolsa de apostas do STF e do STJ

Ministros do STF e do STJ ouvidos pela Folha de S. Paulo disseram “que é nula a possibilidade de não haver qualquer divergência entre os três titulares da turma do TRF-4 que vai julgar Lula.

Ao menos na dosimetria das penas, dizem, haverá desencontro. Muitos apostam em 2 a 1.”

O fundamental, hoje, é que Lula seja condenado por 3 a 0.

Se houver divergência na dosimetria, a defesa de Lula poderá empurrar o processo com a barriga por algum tempo, mas nada mudará o resultado final.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 16 comentários
  1. O BURRO puxador de carroça! Se a pena prescrever LULA está livre!!

    O JORNALISTA puxador de carroça!! Pena precrista é como se não HOUVESSE
    CONDENAÇÃO!! Se a pena abaixar LULA ESTA LIVRE!!

  2. Penso o contrário. Quantos processos da Lava Jato o STF julgou com sentença condenatória? O Juiz – Doutor Sérgio Moro e a Turma do TRF4 responsável pelos processos da Lava Jato já julgaram vários processos. A 2 Turma do STF regeitou várias denúncias. Na minha opinião o placa vai ser de 3×0 com divergência apenas na dossimetria; e sem pedidos de vista.

  3. A grande diferença que existe entre o parecer deste senhores e dos que apostam na divergência é que estes desembargadores ainda são profissionais de carreira e alçaram estas posições por mérito, enquanto aqueles ministros apostadores são escolhidos pelo presidente da republica por critérios políticos e ideológicos. Até estes ministros que estão jogando uma carga excessiva em parecer divergente de um dos desembargadores colocando seu voto sob suspeita. Cabe ao desembargador em questão demonstrar que todos estão errados.

  4. Mas por que é, então, nula a possibilidade de não haver divergência? Haverá alguma brecha jurídica importante no processo que ninguém, inclusive Sergio Moro, viu até agora?. Mas se houver diferença na atribuição de pena, isso não quer dizer necessariamente que um deles vai absolver o indivíduo; pode mesmo significar que agravam a pena em dimensões diferentes. De onde o Antagonista tirou agora a certeza do 2×1? Diferenças na atribuição de pena não são 2×1. Por 2×1 se entende que um dos três votou pela absolvição.

  5. O Antagonista passou os últimos dias vomitando a ideia de que Lula estava acabado, dando o resultado do julgamento como um voto unânime pela condenação do verme. Agora, na hora h, já diz que é certo o 2×1 que é o codinome de ‘o Brasil acabou de acabar’.