Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"A responsabilidade do que tornou-se público não é de nenhum ministro. É do Celso de Mello"

Jair Bolsonaro, na porta do Alvorada, voltou a criticar a divulgação do vídeo da reunião com os ministros no dia 22 de abril.

“Um ministro do STF [Celso de Mello] resolveu suspender o grau de sigilo, expondo uma reunião presidencial. […] Eu peço que reflitam, pelo amor de Deus. Lá nessas reuniões, cada um pode falar o que bem entende. Eram reservadas. Eu poderia ter destruído a fita porque não é uma fita oficial. Respeitei a decisão do decano e entreguei a fita”, disse Bolsonaro.

E mais:

“Levantou o sigilo secreto de uma reunião. A responsabilidade do que tornou-se público não é de nenhum ministro. É do ministro Celso de Mello. Ele é o responsável. Eu peço, pelo amor de Deus: não prossigam esse tipo de inquérito, a não ser que seja pela Lei de Abuso de Autoridade, que está bem claro de quem divulga vídeos, imagens ou áudios do que não interessa ao inquérito. Está lá, um a quatro anos de detenção. O criminoso não é o [Abraham] Weintraub, não é o [Ricardo] Salles, não é nenhum de nós. A responsabilidade de tornar público aquilo é de quem suspendeu o sigilo de uma sessão cujo vídeo foi chancelado como secreto.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO