Bolsonaro acena a partidos com cargos de segundo escalão

Jair Bolsonaro acenou a parlamentares com a negociação de cargos no segundo escalão de seu governo nas próximas semanas, afirma a Folha.

A promessa teria sido feita no encontro de hoje do presidente eleito com deputados do PR de Valdemar Costa Neto.

Segundo participantes, parte do discurso de Bolsonaro foi de que a política não será feita como nos mandatos anteriores, com troca de favores.

Apesar disso, o presidente eleito sinalizou que ouvirá as siglas para formar seu segundo escalão, que inclui cargos federais nos ministérios e nos estados.

Os generais acompanham as primeiras ações do futuro governo — e não aprovam tudo... LEIA AQUI

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. KKK o governo nem começou e já está com a cara do que está acabando. O tal é dando que recebe parece que não vai ter fim neste governo. O que era para ser novo a cada novo dia fica com cara de v

Ler mais 65 comentários
  1. KKK o governo nem começou e já está com a cara do que está acabando. O tal é dando que recebe parece que não vai ter fim neste governo. O que era para ser novo a cada novo dia fica com cara de v

  2. Eu já disse e repito, ninguém sabe realmente como será a composição do governo, já houve muitas notícias plantadas pela folha e totalmente ao contrário do a impressa falou. Puro boato

  3. Notícia partindo da Folha não tem credibilidade NENHUMA! O jornal a serviço do PT só está querendo impor a narrativa de que o governo Bolsonaro não tem nada de diferente dos governos petistas!

    1. Exatamente, xará! Matéria feita para alimentar a narrativa da esquerda. Para Gleisi emitir notinha e id..iotas inúteis virem comentar aqui que é mais do mesmo. Tudo combinado.

  4. BOSTAnaro, só te compra os idiotas BOSTAminions. Você é farinha do mesmo saco de onde saiu o bandido Waldemar da Costa. Teu governo mal começou e já está fazendo água. Você será o LULADRÃO v

  5. não adianta. a faixa presidencial (eles querem assim)é um papel higiênico que “limpa tudo”.já nomeou guedes com investigações, que nomeou outros investigados.promessas podem ser defecadas.ment

  6. Entendam de uma vez por todas bobinhos iludidos… não existe “estatal estratégica”, existe estatal para ser roubada por políticos. Aguardem e confirmem daqui a alguns meses de governo.

    1. SE for VERDADE, pisou feio na bola. Votei no candidato por suas idéias, que não incluíam esse tipo de negociação.

    2. … isso não seria governar, seria praticar fisiologismo, e abrir espaço pra corrupção e pra ineficiência do estado.

    3. Nada disso. Nada disso. Não tem que ter qualquer concessãozinha que seja, pra partido nenhum. Muito menos pro psdb, mdb, pr, pp, etc.

  7. Não, duvido que o capitão tenha dito isso. Com essa informação vinda da Foice de SP, eu desconfio de cara. Ele é o político que simplesmente mais ataca o fisiologismo da “governabilidade”.

  8. Ouvi Bolsonaro dizer com muita sensatez, que ouvira bancadas partidárias e apreciara nomes TÉCNICOS que forem indicados, mas deixando claro que a palavra final e dele e do primeiro escalao.

    1. Não tem que ouvir não. Acredito que ele disse que escutaria partidos no contexto do agendamento de votações. Mas a prioridade, o canal de comunicação, deve ser com as bancadas.

  9. Maioria dessas notícias é na base do “la credibilidad soy yo”. Não tem! Sem credibilidade, sem nome do jornalista e +, muitos aqui cancelaram FolhaSP. Lê-la aqui por quê! Aguardo twitter Presid

  10. Nao vi nada demais. Segundo e terceiros escaloes, podem e devem ser usados para criar uma base política. Nao vejo como toma lá da cá, vejo como uma necessidade de interlocução com o congresso.

    1. O Jair Bolsonaro sempre atacou esse fisiologismo que chamavam de “governabilidade”, e criou, acertadamente, uma militância intolerante com esse fisiologismo feito por raposas do “centrão”.

  11. Porque o Antagonista ainda republica matérias desse jornal petista disseminador de fake news? Basta ver o caso da fake news do Whatsapp, já passaram 2 meses, e não apresentaram nenhuma prova