Bolsonaro apoia Witzel sobre snipers

Telegram

 

Questionado sobre a proposta de Wilson Witzel de abater criminosos flagrados com armas, o presidente eleito se manifestou favoravelmente e lembrou a atuação do Exército na missão de paz da ONU no Haiti.

“Vamos para um caso concerto. Qual era a forma de engajamento concreto do Exército no Haiti? Se pegasse alguém portando arma de guerra, era abatido.”

Você precisa entender o governo Bolsonaro. Mas não conte com a grande imprensa. Leia AQUI

Para Jair Bolsonaro, é preciso dar a “retaguarda jurídica” necessária para que o policial não seja punido ao entrar num confronto.

“A violência tem crescido, usado armamento mais sofisticado. Precisamos dar a retaguarda jurídica. Uma vez havendo confronto, não se pode punir o policial, pois isso estimula a bandidagem a agir de forma ainda mais violenta.”

Comentários

  • Euclides -

    No Haiti, ninguém fala da invasão promovida pelos USA Inc. às vésperas do terremoto. Era um país em estado de falha, cujo governante havia sido afastado do poder... embora haja semelhança

  • Glaucia -

    Claro que o Rio é o estado de situação mais grave, mas essa estratégia tem que ser implantada ao mesmo tempo no país inteiro, sob pena de fuga em massa para outros Estados, hein!

  • Ernesto -

    Eu acho que o problema desta abordagem é que pode haver retaliações terroristas. Sabem aquele negócio dr colocar fogo em ônibus, etc.

Ler 85 comentários