ACESSE

"Bolsonaro caminha para a inviabilidade"

Telegram

Jair Bolsonaro “caminha para a inviabilidade”, diz Marcos Nobre, em entrevista ao Estadão.

“Desde o início do governo Bolsonaro, houve uma divisão do eleitorado em três terços: um terço de aprovação, um terço de rejeição e um terço que nem aprova nem rejeita. Isso levava a uma lógica que imobilizava a política brasileira, porque nenhum dos terços conversava com outro. Cada terço só fazia esforço para fidelizar seu próprio terço. Isso era algo que estava levando Bolsonaro à reeleição porque ele vive também da divisão do campo democrático. As pesquisas mostram que foi rompida essa lógica, porque houve um aumento da rejeição a Bolsonaro e uma diminuição da parcela que não o aprova nem o rejeita. Acho que isso é uma tendência e que o apoio a Bolsonaro tende a se reduzir ao núcleo mais fanático. Ele é um presidente que caminha para a inviabilidade. O governo de guerra está servindo para ele ganhar tempo, em cima de uma pilha de cadáveres, para negociar com o Centrão na Câmara para que não seja aberto um processo de impeachment.”

Leia também: Centrão: aliado de Bolsonaro, Doria e Witzel

Comentários

  • Guilherme -

    Está no ar aquele mesmo sentimento anti PT. A diferença é que o PT precisou de 14 anos para isso. O Bozo de um ano de governo. Vai ser ruim assim lá na p q p.

  • Est -

    Pilha de cadáveres é uma situação normal há anos devido à violência e não por causa da covid. Puro besteirol desse teórico.

  • Júlio -

    Marcos Nobre virou referência para o Antagonista. Ok ...sen...sa...cio...nal... Quem diria ? Viraram especialistas em Pademia e vão derrubar um presidente. Parabéns ! Um grande trabalho jornalístico !

Ler 109 comentários