Bolsonaro chama de "garotada" militares que receberam coronavoucher

Telegram

Ao ser perguntado sobre os mais de 70 mil militares que receberam o auxílio emergencial de R$ 600 — o chamado coronavoucher –, Jair Bolsonaro disse hoje que se trata de uma “garotada”.

“Mais ou menos 3% da garotada presta o serviço militar obrigatório, e são pessoas oriundas das classes mais humildes da população. São os mais pobres. Estão servindo o Exército no corrente ano, Marinha e Aeronáutica, e alguns se inscreveram. Como no ano passado, filho de pobre, sem renda, não tinha renda nenhuma, acabaram recebendo”, tentou explicar Bolsonaro.

Ele afirmou ainda que os militares terão de devolver o dinheiro e devem ser punidos.

Leia também: Combo O Antagonista+ Crusoé: 3 meses por R$ 1,90/mês (depois 62% desc.)

“Quando acontece coisa errada no nosso meio militar, o bicho pega. Estão sendo identificados, vão pagar, vão devolver o dinheiro e vão pegar uma punição disciplinar, coisa que não acontece com frequência em outras áreas. No nosso meio, fez besteira, paga. Agora, repito: são militares, mas são jovens que prestam serviço militar obrigatório.”

Entre os militares que receberam o benefício — a “garotada”, segundo Bolsonaro –, há ativos, inativos, pensionistas, dependentes e até anistiados.

Comentários

  • Nina -

    Pensionistas e anistiados são garotada?

  • Luix -

    O vagabund0 presidente ainda tenta proteger os ladrões de dinheiro público. Quadrilheiro presidente safad0

  • Orlando -

    Eles vão pagar caro pela besteira que fizeram, enquanto a punição a Bolsonaro por todos os graves problemas de disciplina cometidos do Exército foi reformado como tenente com soldo de capitão.

Ler 51 comentários