Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Bolsonaro condiciona Bolsa Família de R$ 400 a pedalada dos precatórios

A PEC do novo programa social, chamado de "Auxílio Brasil", foi apresentada há pouco aos presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco
Bolsonaro condiciona Bolsa Família de R$ 400 a pedalada dos precatórios
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O governo Jair Bolsonaro condicionou o pagamento do novo Bolsa Família, no valor de R$ 400, à aprovação da Proposta de Emenda Constitucional para tentar reduzir o valor de R$ 89 bilhões que o governo federal será obrigado a pagar em precatórios no ano que vem.

A PEC do novo Bolsa Família foi apresentada há pouco aos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-PI), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pelos ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, e da Economia, Paulo Guedes, na residência oficial do Senado. O novo programa será chamado de “Auxílio Brasil.”

A PEC dos Precatórios também foi apresentada aos presidentes das duas casas legislativas. O texto da pedalada dos precatórios prevê o parcelamento de parte das dívidas da União ao longo dos próximos anos. 

A ideia do Palácio do Planalto é que as duas PECs tramitem em conjunto, como ocorreu no ano passado com as PECs do Orçamento de Guerra e do Auxílio Emergencial.

“Envidaremos os esforços para essa solução, com especial destaque ao fato de que a população carente precisa ser assistida com uma renda mínima que minimize a fome e a miséria no Brasil”, disse o presidente do Senado, pelo Twitter.

Conforme apurou O Antagonista, os representantes do governo federal disseram que já está garantida na LDO o valor do “Auxílio Brasil” no valor de R$ 300. Entretanto, o benefício pode chegar a R$ 400 caso o governo tenha uma folga maior no orçamento.

A folga, conforme integrantes do governo, deverá vir da pedalada no pagamento dos precatórios que está sendo proposta pela União.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO