Bolsonaro contesta Folha com parecer de Janot

Telegram

A Folha publicou uma matéria intitulada “Patrimônio de Jair Bolsonaro e filhos se multiplica na política”.

O primeiro parágrafo registra o seguinte:

“O deputado e presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e seus três filhos que exercem mandato são donos de 13 imóveis com preço de mercado de pelo menos R$ 15 milhões, a maioria em pontos altamente valorizados do Rio de Janeiro, como Copacabana, Barra da Tijuca e Urca.”

Levantamento feito pelo jornal em cartórios identificou que os principais apartamentos e casas, comprados nos últimos dez anos, registram preço de aquisição bem abaixo da avaliação da Prefeitura do Rio à época.

Quase ao fim da reportagem, a Folha informa:

“Em 2015, a Procuradoria-Geral da República recebeu uma denúncia questionando os valores informados por [Jair] Bolsonaro em relação às suas duas casas da Barra [no Rio de Janeiro].

Apenas tendo ouvido a defesa do presidenciável, o então procurador-geral, Rodrigo Janot, mandou arquivar o expediente dizendo que os valores eram os mesmos do Imposto de Renda. Janot alegou se tratar de denúncia anônima sem ‘elementos indiciários mínimos’ de ilícito.”

Gustavo Bebianno, advogado e assessor de Jair, falou a O Antagonista sobre a matéria:

“O Jair diz que a defesa dele é o próprio parecer do Janot. Mas que não adianta, a Folha tem essa postura. Como individualmente, não há nada contra eles, o jornal os trata como ‘Os Bolsonaros’: junta o patrimônio de quatro pessoas para fazer um bolo só e tentar fazer parecer aos olhos do leitor que se trata de um patrimônio enorme. É ridículo.”

Em seguida, o próprio Jair lamentou que a Folha passe a impressão de que os imóveis eram extraordinários no momento da compra em razão exclusivamente dos bairros onde se encontram.

Lembrou o caso em que, questionado se tinha um imóvel em Angra dos Reis, confirmou a informação ao repórter e pediu que fosse visitá-lo para verificar suas condições. Quando voltou, o repórter havia desistido de fazer a matéria e ainda brincou que o deputado a usaria a seu favor.

Abaixo, O Antagonista reproduz a imagem do ofício de Janot, enviada por Bolsonaro.

Comentários

  • Fantini -

    A Folha de São Paulo, UOL e seus atrelados deveriam mudar de nome. Talvez "Folha do Comunista" ou quem sabe " Folha de Caracas" ficaria melhor, mas aí o título acabaria ficando com duplo sentido. Ao menos uma coisa é certa: não aprenderam nada com o exemplo Norte Americano.

  • Mariaeu -

    Com tanta má intenção em seu bojo, imagine se a Folha fosse um Livro.

  • Fabio -

    Eles querem a qualquer custo queimar a imagem de Jair Bolsonaro, só que estão promovendo mais ainda. Bando de otários mal caráter esquerdopatas.

Ler 495 comentários