Bolsonaro contradiz governador do AM e alega que governo não foi informado de falta de oxigênio

Bolsonaro contradiz governador do AM e alega que governo não foi informado de falta de oxigênio
Foto: Alan Santos/PR

Pressionado até por apoiadores, Jair Bolsonaro alegou que o Amazonas não informou à União que haveria falta de oxigênio nos hospitais em razão do avanço da Covid-19 —o que fez pacientes morrerem sufocados em Manaus e no interior do estado.

“Nós demos dinheiro, recursos e meios. Não fomos oficiados por ninguém do estado na questão do oxigênio”, disse o presidente ao chegar ao Palácio da Alvorada nesta quarta-feira, 27.

Segundo Bolsonaro, foi a White Martins que informou o problema em 8 de janeiro, uma sexta-feira. “E na segunda estava lá o ministro”, acrescentou, em referência a Eduardo Pazuello.

A fala contradiz o governador do Amazonas, Wilson Lima, que se reuniu com Pazuello em 6 de janeiro e disse ter comunicado na ocasião a falta de oxigênio e a alta ocupação de leitos.

E o ministro da Saúde de fato esteve em Manaus no dia 11 —mas para cobrar dos profissionais de saúde amazonenses a administração de medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19, como a cloroquina.

Leia mais: Crusoé revela com exclusividade como o diretor-geral da ABIN, Alexandre Ramagem, enviava por WhatsApp para Flavio Bolsonaro os relatórios produzidos clandestinamente para orientar sua defesa no caso da rachadinha.
Mais notícias
TOPO