Bolsonaro deixa votação do Estatuto do Desarmamento para 2019

O deputado federal Rogério Peninha Mendonça (MDB-SC) afirmou nas redes sociais que recebeu uma ligação de Jair Bolsonaro pedindo para deixar para 2019 o projeto de lei de sua autoria que revoga o Estatuto do Desarmamento.

“Se forçássemos a barra para votar esse ano, haveria risco de a proposta ser rejeitada – e um trabalho de 6 anos iria pelo ralo. A composição do novo Congresso é mais conservadora. Com os novos deputados, as chances de aprovarmos o PL 3722 são bem maiores.

Bolsonaro disse que precisará de mim para fazer o meio de campo entre o governo e a bancada do MDB em votações importantes a partir de 2019. É com alegria – e sabendo do peso que esta responsabilidade traz – que aceito a missão.”

A grande imprensa está atrasada no episódio do convite de Bolsonaro a Moro... Imagine o que ela está deixando de revelar para VOCÊ LEIA AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 20 comentários
  1. Essa é um boa notícia neste dia! Afinal, o dep. Alberto Fraga tava de tramoia para sabotar o projeto original, tentando carimbar o projeto com seu nome, mas deixando uma estrovenga longe do ideal.

    1. Perfeito, o troço ficou 3 vezes maior que o próprio Estatuto do desarmamento. virou um dinossauro cheio de remendos, que acabaria com mais direitos ainda.

  2. Além de desburocratizar o processo de retirada da posse, tambem se faz necessária a redução dos impostos. Do contrário, a aquisição de armas continuará inviável para uma grande parcela da pop

  3. FIZERAM O PLEBISCITO….. a população em sua esmagadora maioria foi CONTRA o DESARMAMENTO, no entando o governo vai lá e desarma. Quero o direito de defender minha propriedade e minha família.

  4. Concordo! Se o poder público utilizar bem as suas armas, já estará fazendo bastante por todos nós. Penso que há questões mais urgentes. Há que se ter estratégias bem priorizadas.