Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Bolsonaro diz que 'antídoto' a Moraes 'não está dentro das quatro linhas da Constituição'

Em entrevista a rádio, presidente afirmou que inquérito 'não pode começar' pelo ministro e disse que joga, 'se preciso for, com as armas do outro lado'
Bolsonaro diz que antídoto a Moraes não está dentro das quatro linhas da Constituição
Foto: Alan Santos/PR

Na entrevista que deu à Jovem Pan nesta quarta-feira (4) à noite, Jair Bolsonaro também acusou Alexandre de Moraes de atuar fora das “quatro linhas da Constituição”, ao incluí-lo na investigação do inquérito das fake news por seus ataques ao sistema eleitoral.

“O ministro Alexandre de Moraes abriu um inquérito de mentira, me acusando de mentiroso. É uma acusação gravíssima. Ainda mais num inquérito sem qualquer embasamento jurídico. Não pode começar por ele. Ele abre, apura e pune? Sem comentários”, declarou o presidente.

“Isso está dentro das quatro linhas da Constituição? Não está. Então o antídoto não está dentro das quatro linhas da Constituição. Ninguém é mais macho que ninguém”, prosseguiu Bolsonaro, sem explicar o que considera ser o “antídoto”.

O presidente alegou ainda que “estão se precipitando” na investigação. “Um presidente da República pode ser investigado? Pode. Num inquérito que comece no Ministério Público e não diretamente de alguém interessado”, disse Bolsonaro, que colocou Augusto Aras na PGR.  

“Olha, eu jogo dentro das quatro linhas da Constituição. E jogo, se preciso for, com as armas do outro lado. Nós queremos paz, queremos tranquilidade. O que estamos fazendo aqui é fazer com que tenhamos eleições tranquilas ano que vem”, acrescentou.

Mais notícias
TOPO