Bolsonaro e Lula unem-se para matar provas

Bolsonaro e Lula unem-se para matar provas
Foto: Alan Santos/PR

Jair Bolsonaro detesta Lula. E vice-versa”, diz Josias de Souza.

“A compreensão do jogo bruto da política exige, entretanto, a sutileza de identificar as semelhanças que unificam os personagens diferentes. No momento, Bolsonaro e Lula igualam-se em dois objetivos estratégicos. Na montagem do cenário para a disputa presidencial de 2022, tornaram-se cabos eleitorais um do outro. Na estratégia para lidar com processos por corrupção, agem para matar provas (…).

Os dois não têm do que reclamar, por exemplo, da forma como o ministro Gilmar Mendes administra suas gavetas no Supremo. Graças a um pedido de vista de Gilmar, o julgamento do tríplex aguarda desde 2018 pelo surgimento das condições mais apropriadas para a anulação da sentença. Deve-se ao mesmo senso de oportunidade de Gilmar a protelação da análise do recurso em que o Ministério Público contesta a decisão judicial que concedeu a Flávio Bolsonaro o foro privilegiado do Tribunal de Justiça do Rio.”

Gilmar é o árbitro do jogo político, enquanto Alexandre de Moraes é o chefe de segurança da partida na qual o STF sempre vence.

Leia mais: A prisão do deputado Daniel Silveira, que ofendeu ministros do STF num vídeo, é mais um capítulo da avacalhação da democracia brasileira.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO