Bolsonaro e PSL não pagaram para impulsionar conteúdo, diz Twitter ao TSE

Telegram

O Twitter encaminhou hoje um ofício ao TSE afirmando que “as contas verificadas do candidato Jair Messias Bolsonaro e do partido político Partido Social Liberal (PSL) [@jairbolsonaro e @psl_nacional] não contrataram impulsionamento de qualquer conteúdo, seja este eleitoral ou não”, registra a Folha.

Para chegar à constatação, a empresa disse ter feito uma averiguação interna, mesmo lembrando que não permite anúncios de campanha eleitoral no Brasil e em outros três países — Marrocos, Paquistão e Coreia do Sul.

A resposta foi dada a Luís Roberto Barroso, relator no TSE da prestação de contas da campanha de Bolsonaro.

Um lobista já é apontado como fonte de problemas do futuro governo Bolsonaro. LEIA AQUI

O ministro determinou na quinta-feira (8) a WhatsApp, Facebook, Twitter, Instagram e Google que respondessem, em um prazo de três dias, se houve contratação de disparos em massa a favor do candidato durante as eleições, seja por ele ou por qualquer outra pessoa.

Até agora, portanto, nada de papelzinho.

O papelzinho da Folha

 

Comentários

  • Siviero -

    Pau na folha de sao paulo. Cade o processo?

  • Jefferson -

    A folha que noticiou isso? Mas não foi ela mesma que criou a noticia falsa que ele fazia isso?

  • Gerson -

    Imprensa marrom! Perdeu toda isenção e credibilidade. Só gosta de posar de imprensa séria e democrática. Como dizia minha vó: por fora, bela rôba; por dentro, pão bolorento!

Ler 79 comentários