Bolsonaro falou com Pazuello no domingo e endossou HC

Presidente se reuniu com ex-ministro reservadamente no Palácio da Alvorada, antes de um passeio de moto por Brasília com apoiadores
Bolsonaro falou com Pazuello no domingo e endossou HC
Foto: Carolina Antunes/PR

Ao autorizar que a AGU pedisse o habeas corpus para que Eduardo Pazuello fique em silêncio na CPI da Covid e não corra o risco de ser preso, Jair Bolsonaro atuou para manter o militar sob a tutela do Planalto.

O Globo informa que o presidente concordou com a medida após uma reunião com Pazuello no domingo (9), no Palácio da Alvorada, quando recebeu o ex-ministro da Saúde reservadamente antes de um passeio de moto por Brasília com apoiadores.

Ao proteger o ex-auxiliar, Bolsonaro também tenta se preservar de uma exposição maior. A decisão do presidente foi baseada no receio de que Pazuello, sem o HC, abrisse mão da defesa da AGU e, portanto, se distanciasse do governo.

Além de recusar um cargo na Secretaria-Geral da Presidência, o ex-ministro da Saúde avaliava ser representado pelo advogado Zoser Hardman, seu ex-assessor jurídico na Saúde. A combinação dos fatos, diz o jornal carioca, acendeu o alerta no governo.

O Globo afirma ainda que o HC, concedido nesta sexta (14) por Ricardo Lewandowski, gerou divergência dentro do governo antes de ser apresentado ao Supremo. Ministros como André Mendonça e Onyx Lorenzoni eram contra a medida para blindar o general, com receio dos efeitos políticos.

Leia mais: Enquanto Brasília faz tudo errado, a Crusoé continuará fazendo o certo: fiscalizando o poder.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO