Bolsonaro fatiado

Jair Bolsonaro tem quatro reformas previdenciárias.

O Estadão enumera:

“Uma coordenada pelo ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga e pelo economista Paulo Tafner, outra do economista Fabio Giambiagi e uma terceira elaborada pelos irmãos Arthur e Abraham Weintraub, professores da Unifesp que integram a transição. Existe a possibilidade de um novo texto ser construído com os elementos dessas três alternativas.”

A maior dúvida, segundo a reportagem, é sobre a velocidade da transição de um sistema para o outro.

Uma apuração minuciosa feita em Brasília revela as principais decisões de Paulo Guedes, o posto Ipiranga do futuro presidente, e sua equipe. Leia AQUI

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Romeu disse:

    Quem cuida de fazer retornar ao consumo 53 milhões de pessoas que estão abaixo da linha da pobreza? Recuperar estas pessoas não traz retorno eficaz? Ou seguem a velha cartilha dos bancos?

Ler comentários
  1. Sérgio disse:

    Estelionato eleitoral total : o candidato JAMAIS falou durante a campanha em acabar com o sistema de distribuição e passar pra capitalização. Bem feito pra quem votou ... vai ferrar c os pobres.

    1. É pq vc nunca ouviu os discursos. Sempre foi falado isso.

    2. Estava no programa de governo que não foi modificado como o do fantoche. Vc não leu, como da hábito.

    3. Os Bancos continuam mandando, nada de novo no front.

    4. O Guedes falou sobre isso sim em diversas entrevistas, principalmente da globo news. O Bolsonaro nunca prometeu nada especifico para a previdência além de uma transição gradual.

  2. Maria disse:

    Foi o “colunista” do Estadão quem escreveu isso?

    1. Não, são os bancos que soltam esses press releases.

  3. Thiago disse:

    Bolsonaro abraçou o gradualismo e a covardia de Macri-Macron. Aprova logo a proposta de Temer, e depois faça a da capitalização!

  4. Noely disse:

    Faça-se rápido todas as partilhas, o tempo urge, chegas de privilégios

  5. José disse:

    seria mais rápido se: 1. clt e sem clt. 2. sem clt salário 50% maior devido a ausência de encargos. - ex. com clt 1000, patrão gasta 2000; sem clt 1500 patrão economiza 500 por empregado. simpl

    1. Nem todos os profissionais tem salários tabelados. E nem devem ter, precisamos incentivar o povo a abrir empresas e criar demanda para aumentar os salários. É assim que se faz.

    2. Basta aceitar os os dois modos: Com CLT e sem CLT. Colocando por lei que: sem CLT 50% a mais de salário devido a ausência de encargos. Em pouco tempo quero ver quem vai querer CLT.

  6. José disse:

    Bolsonaro Pega o nome dos deputados que não querem reforma, vai pra TV e fala os nomes e pede pro povo guardar este nomes....simples

    1. O povo guardou bem os nomes dos parlamentares que apoiavam a reforma do Temer, tanto que a maioria deles não foi reeleita.

  7. LUIGI disse:

    Os bancos continuam mandando, nada vai mudar, pensava que o enfrentamento da criminalidade seria a pauta principal inicial.

  8. Renato disse:

    Caraí, parece que o Gov. Bolsonaro ja começo...

  9. José disse:

    O problemas das reformas são os patrões e empresários brasileiros que vão querer pagar o mesmo salário sem CLT...aí não dá...

    1. O nosso principal problema não é o salário em si, mas os impostos abusivos. Você pode ganhar 5 mil, não servirá para nada se os impostos continuarem progressivos como estão.

  10. Augusto disse:

    Os servidores públicos já é regime de capitalização. Contribuem 35 anos sobre o valor do salário total. Não capitalizaram por incompetência ou malversação dos políticos.

  11. Rosa disse:

    O SUS, mega-orçamento de 250 bi que sai pelo ralo da corrupção, tem que ser transferido para a Previdência como Alemanha, sistema de saúde securitário de qualidade, com cartão eletrônico do p

  12. Augusto disse:

    A Globo continua na pressão total. Taxa funcionários de privilegiados, para acabar com os regimes próprios e criar mercado de previdência privada, dos bancos, seus maiores anunciantes

  13. Augusto disse:

    E grande parte da população e da mídia DEPENDENTE está indo na conversa da Globo

  14. Augusto disse:

    Existem mídias dependentes das verbas dos governos e existem as mídias dependentes de seus anunciantes privados, mormente bancos

  15. Augusto disse:

    Basta fazer cálculos: capitalize 11% do salário por 35 anos, mesmo a juros de poupança, formará um capital para arcar com o valor do salário do aposentado por cerca de 15 anos

  16. Augusto disse:

    Isso a juros de poupança. Pode-se ganhar muito mais. Incluindo a parte do governo, o capital formado dá para arcar com mais de 25 anos de aposentadoria!

  17. Augusto disse:

    Onde está o privilégio dos servidores que a Globo alardeia sem parar? Seus interesses são outros, em detrimento do Estado.

  18. Augusto disse:

    Resta saber: Bolsonaro também vai embarcar no papo furado da Globo? Vai também taxar os funcionários públicos de privilegiados?

    1. Não existe isso de privilegiado. Isso é papo da Globo! Quer criar mercado para previdência privada. E não lhe interessa um Estado forte. A quem interessa um Estado fraco?

    2. E tem mais: o serviço público está disponível para todos os brasileiros. Basta passar ter capacidade para passar nos concursos públicos. Estude, estude bastante, por anos, quem sabe você passa.

    3. Salário alto? Não se fica rico com salário de servidor público. Existem limites. Na iniciativa privada, o céu é o limite! Pode-se tornar milionário na iniciativa privada.

    4. Sem estabilidade, teria sido demitido ou transferido para não contrariar interesses escusos dos políticos envolvidos na Lava Jato.

    5. Ou alguém acha que o Morro, por exemplo, teria cumprido o seu dever se não tivesse as garantias da lei para o exercício de sua atividade?

    6. Estabilidade, integralidade, paridade... tudo é instrumento de atração de pessoas com real independência, para que o ESTADO possa existir, de fato, independente do político de plantão!

    7. Para algumas atividades, além da estabilidade, tem também inamovibilidade. Pois a possibilidade de transferência sumária também pode prejudicar a independência no exercício da atividade.

    8. Sem estabilidade, o funcionário que contrariar interesses de político seria demitido! Simples assim.

    9. Vocês realmente acreditam que um policial,, fiscal, juiz, e outros que exerçam atividades típicas de Estado, teriam independência para cumprir sua obrigação sem estabilidade?

    10. Não percebem o óbvio? Estabilidade é uma garantia para que o funcionário possa exercer sua atividade de Estado com independência. Sem estabilidade, não há Estado!

    11. Carlos, já começa pela estabilidade, não podem ser demitidos mesmo em tempo de crise, fora os ganhos, quase sempre superiores aos da iniciativa privada. Ou seja: Farra com dinheiro do contribuinte!

    12. Quais são os privilégios de um servidor público?

    13. Não precisa taxar, funcionário publico é privilegiado

  19. Cleon disse:

    ... tico-tico no fubá: funcionários públicos apenas para atividades típicas de Estado. Alíquota de 20% de Inss, mesmo após a aposentadoria. Foco no combate às mordomias do Legislativo e Judici

  20. Adriano disse:

    Fico muito feliz de perceber que tem tanta gente boa trabalhando nisso aí... Dessa vez vai ser uma coisa muito bem elaborada.

  21. Eduardo disse:

    Ou alguém bota ordem nesta baderna ou não vai ter reforma da Previdência nenhuma. Do jeito que a coisa vai, daqui a pouco, até Eduardo Bolsonaro vai querer apresentar a sua...