Bolsonaro fatiado

Jair Bolsonaro tem quatro reformas previdenciárias.

O Estadão enumera:

“Uma coordenada pelo ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga e pelo economista Paulo Tafner, outra do economista Fabio Giambiagi e uma terceira elaborada pelos irmãos Arthur e Abraham Weintraub, professores da Unifesp que integram a transição. Existe a possibilidade de um novo texto ser construído com os elementos dessas três alternativas.”

A maior dúvida, segundo a reportagem, é sobre a velocidade da transição de um sistema para o outro.

Comentários

  • Romeu -

    Quem cuida de fazer retornar ao consumo 53 milhões de pessoas que estão abaixo da linha da pobreza? Recuperar estas pessoas não traz retorno eficaz? Ou seguem a velha cartilha dos bancos?

  • Rosa -

    O SUS, mega-orçamento de 250 bi que sai pelo ralo da corrupção, tem que ser transferido para a Previdência como Alemanha, sistema de saúde securitário de qualidade, com cartão eletrônico do p

  • Adriano -

    Fico muito feliz de perceber que tem tanta gente boa trabalhando nisso aí... Dessa vez vai ser uma coisa muito bem elaborada.

Ler 50 comentários