Bolsonaro ironiza entidades ambientais

O Estadão relata que, na reunião de hoje com o DEM, Jair Bolsonaro afirmou que não demarcará “um centímetro quadrado a mais de terra indígena” e que “não tem mais terra para quilombola” no Brasil.

O presidente eleito também disse que Tereza Cristina –futura ministra da Agricultura, presente à reunião– acumularia a pasta do Meio Ambiente, mas a fusão foi descartada quando ele percebeu que teria “problemas fora do Brasil”.

“Demos um passo atrás (…). Recuamos e veio o garoto Ricardo Salles. Quando vi entidades ambientais criticando ele, eu falei: ‘poxa, Onyx [Lorenzoni], acho que acertamos’”, contou, provocando risadas entre os presentes.

A deputada do barulho quer ser a capitã de Bolsonaro. Leia AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 23 comentários
  1. Esses quilombolas são um bando de vagas de luxo que só serve pra fazer filho encher a cara de pinga e não produzem nada. Simplesmente não conseguem evoluir. O B 17 deveria cobrar deles pra que ser

    1. Ele está mantendo promessa de campanha, está certíssimo pois votei nele pelo que ele estava propondo e deve cumprir. Não precisam de mais terras, índios e quilombolas já tem terras suficientes.

  2. São comentários desnecessários, coisa de um líder burro mesmo, achei que seria diferente, que o cara era mais esperto mas só fica arrumando confusão, falando demais, e falando o que menos import

  3. Ambientalista q nunca botou o pé na grama, nunca plantou 1 muda d árvore nativa, usa madeira d lei no churrasco do boi q tanto amaldiçoa, q ñ abre mão do leite e queijo da vaquinha no café da ma

  4. O planeta tem 1 ciclo de água.Aquece/esfria e estamos dentro do inicio de uma era do GELO.O hemisfério norte irá sentir e muito e o globalismo ao inves de alerta e adequação ás populações preg