Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Bolsonaro já defendeu que depoente que pediu para se calar em CPI fosse torturado

Na última sexta-feira, o ministro Lewandowski garantiu o direito do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello ficar em silêncio na CPI da Covid
Bolsonaro já defendeu que depoente que pediu para se calar em CPI fosse torturado
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Hoje com aliados acionando o STF para poderem ficar em silêncio na CPI da Covid, o presidente Jair Bolsonaro já defendeu tortura para um depoente que invocou o direito em uma comissão parlamentar de inquérito em 1999.

Na ocasião, o então presidente do Banco Central, Chico Lopes, se recusou depor à CPI dos Bancos como testemunha. Orientado por seus advogados, ele pediu que fosse ouvido como acusado, um salvo-conduto para ficar em silêncio ou dar respostas que não o incriminassem, direito previsto na Constituição.

Em entrevista à Band, Bolsonaro falou em “torturar” e “dar porrada” em Chico Lopes.

“Dá porrada no Chico Lopes. Eu até sou favorável que a CPI, no caso do Chico Lopes, tivesse pau de arara lá. Ele merecia isso: pau de arara. Funciona! Eu sou favorável à tortura, tu sabe disso. E o povo é favorável a isso também.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO