Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Bolsonaro: 'Não queremos carta branca para matar'

Presidente voltou a defender a ampliação do excludente de ilicitude
Bolsonaro: Não queremos carta branca para matar
Reprodução/Planalto/YouTube

O presidente Bolsonaro disse nesta quinta (25) que a ampliação do excludente de ilicitude, defendida por ele, não significa querer “carta branca para matar”.

“Temos inclusive gente das Forças Armadas que depois de uma GLO acabou aí sendo… e responder (sic). E alguns até condenados, isso dói na alma da gente, porque no final das contas, no tocante às Forças Armadas, com todo o respeito ao Braga Netto, eu sou o último – o primeiro responsável por tudo o que acontece. E nós sofremos juntos”, disse o presidente, no Ministério da Justiça, em solenidade de entrega de viaturas e outros equipamentos para policiais que atuam na fronteira.

“Olhem só, pessoal: GLO praticamente acabou. Me dá o excludente de ilicitude que a gente vai para a GLO”, acrescentou o presidente.

“Nós temos que lutar pelo nosso excludente de ilicitude. Vamos cumprir a missão (…) E nós não queremos com isso carta branca para matar. Nós queremos ter o direito de não morrer”.

Leia mais:

Bolsonaro diz que ‘vai à luta’ se for aprovado excludente de ilicitude

Justiça condena 8 militares por morte de músico no Rio

Mais notícias
TOPO